Notícia

Terra

Novo método agiliza o diagnóstico do rotavírus

Publicado em 16 janeiro 2007

Um pesquisador descobriu um método rápido, barato e eficaz para identificar o rotavírus, agente que provoca diarréia aguda e causa a morte de milhares de crianças em todo o mundo a cada ano. O trabalho faz parte de uma dissertação de mestrado apresentada no Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos) da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro. O método deverá chegar ao mercado ainda no primeiro semestre deste ano.

De acordo o autor do trabalho, Waldemir de Castro Silveira, quando começar a ser produzido em escala industrial, o teste custará R$ 0,60. Os que existem hoje no mercado custam, em média, R$ 6.

Os resultados desse novo método poderão ser obtidos em apenas três minutos. O teste consiste na aplicação de um reagente específico, composto de microesferas de poliestireno conjugadas a um anticorpo anti-rotavírus, em uma lâmina com amostra das fezes do paciente. Com a observação da reação do preparado, uma aglutinação específica indica a presença do microrganismo e confere resultado positivo ao diagnóstico da doença.

"O anticorpo se acopla rapidamente ao capsídeo, a capa protéica do vírus, provocando uma reação de cadeia visível", disse Silveira à Agência Fapesp. "Se houver rotavírus, o material muda de aparência e fica com aspecto de grãos de areia", explicou o pesquisador da Fiocruz.

Estima-se que, a cada ano, cerca de 600 mil crianças morrem em todo o mundo por causa do rotavírus. No Brasil, a estimativa é que ocorram cerca de 850 óbitos a cada ano e mais de 300 mil internações no SUS de crianças de até 5 anos.