Notícia

Tecnologia, Informação e Notícias

Novo acelerador de partículas será inaugurado em 2018, em Campinas-SP

Publicado em 03 setembro 2017

Quem visita o campus do CNPEM (Centro Nacional de Pesquisas em Engenharia e Materiais), em Campinas, Já pode ver no solo o traçado de uma circunferência de 235 metros de diâmentro. Não é um aeroporto para discos voadores. Nesse Círculo ficará o Sirius, o novo acelerador de partículas da instituição, uma máquina de R$ 1,3 bilhão.

A maior parete será financiada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. A Fapesp (Fundação de Ampapro à Pesquisa do Estado de São Paulo) também contribui para o projeto. O tamanho do projeto pode não ser muito impressionante camparado aos maiores aceleradores de partículas do mundo - o LHC, na Suíça, tem 8,6 Km de diâmentro - mas a máquina brasileira tem a chance de ser a melhor de sua categoria quando for inaugurada, em 2018.

Diferentemente dos aceleradores que produzem colisões entre partículas, o Sirius vai gerar raios de luz síncrotron, tipo especial de radiação. Ela é usada para obter imagens de alta definição em técnicas de análise estrutural de materiais e moléculas. Dentro do acelerador circulam elétrons que, ao serem desviados por imãs para seguirem a trajetória do anel, emitem radiação síncrotron pela tangente

Fonte: Folha de São Paulo