Notícia

Terra

Nova lista de obras da UnB vai de Maquiavel a Camaro Amarelo

Publicado em 24 janeiro 2013

A Universidade de Brasília (UnB) divulgou nesta quinta-feira a nova relação de obras para a primeira etapa do Programa de Avaliação Seriada (PAS). A lista, que inclui livros, filmes, obras de arte, peças teatrais e músicas, foi aprovada em reunião no final de dezembro e as mudanãs passam a valer para a primeira etapa de 2013. Entre as novidades, estão a inclusão da obra O Príncipe, de Maquiavel, e as músicas Vida Loka parte II, dos Racionais MC, e Camaro Amarelo, de Munhoz e Mariano.

Segundo a UnB, as obras servem como referência para a elaboração das provas, porém não são exclusivas. “A revisão buscou equilibrar melhor a distribuição entre obras verbais e não verbais sugeridas para essa etapa. Além disso, o trabalho de rever as obras permite a atualização de diversos aspectos importantes para a avaliação e, para isso, novas obras foram incluídas", afirmou o consultor da Gerência de Interação Educacional do Cespe/UnB, Rogério Basali.

As mudanças aprovadas incluem uma seleção de artigos da Revista Darcy, uma publicação da UnB, e também de textos da Revista Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP). “A inclusão dos textos de divulgação científica é uma das novidades para essa primeira etapa”, diz Basali.

Os professores interessados em comentar as mudanças contidas na proposta podem se manifestar pelo e mail fpprofessores@cespe.unb.br. O texto final dos Objetos de Conhecimento será disponibilizado até março, no endereço eletrônico www.gie.cespe.unb.br.

Textos:

Substituição de “O Discurso da Servidão Voluntária” (La Boettie) por “O Príncipe” (Maquiavel);

Inclusão da obra “A Apologia de Sócrates” (Platão);

Substituição da obra “Cartas Chilenas” por “Marília de Dirceu” (Tomas Antonio Gonzaga);

Substituição de “A Alma Encantadora das Ruas” (João do Rio) por “Seleção de poemas de Gregório de Matos”;

Inclusão dos artigos da Revista Darcy: nº 7 ago/set/2011 “Dossiê O que resta do Plano?” e “Jovens que evaporam”;

Inclusão do artigo de Carlos Haag “Nos ombros de gigantes mágicos”, da Revista Pesquisa FAPESP, edição especial maio/2012;

Teatro:

Substituição de “A Pele do Lobo” (Artur de Azevedo) por “Antígona” (Sófocles);

Música:

Substituição de “Bachiana 4” por “Chorus 10 – Rasga Coração” (Villa-Lobos);

Substituição de “Carmen” (Bizet) por “Carmina Burana” (Carl Orff) “O Fortunna”; “Solo Soprano” e “Solo Barítono”;

Exclusão da obra musical de Hildegard Von Bingen;

Exclusão da obra musical “Sadnnes”, de Enigma;

Exclusão da obra musical “Sweeet Lullaby”;

Inclusão da obra musical “Primavera”, de Vivaldi;

Exclusão de NX Zero: “Daqui pra frente” e “Cedo ou tarde”;

Exclusão da obra musical “Pro dia nascer feliz”, Cazuza;

Exclusão da obra musical “Músicas de índios brasileiros”- “Marlui Miranda”;

Exclusão da obra musical “Olhos coloridos”, de Macau, com Sandra de Sá e Funk como le gusta;

Inclusão da obra musical “Vida Loka parte II”, de Racionais MC;

Inclusão de “Camaro Amarelo”, de Munhoz e Mariano;

Inclusão da obra musical “Cuitelinho” (domínio público), na versão de Pena Branca e Xavantinho;

Inclusão das manifestações culturais populares dos festejos de “Congada” e “Catira” do Centro-Oeste;

Inclusão da obra musical “Infortúnio”, de Arrigo Barnabé;

Exclusão das músicas “Eu nasci há dez mil anos atrás” (Raul Seixas) na versão Móveis Coloniais, e “Eu nasci com fama” (Móveis Coloniais de Acaju);

Exclusão da obra “A violeira”, de Chico Buarque, na versão de Mônica Salmaso;

Substituição na “Ópera do Malandro” de “O casamento dos pequenos burgueses”, “Hino de Duran”, “Se eu fosse o teu patrão ou Tango do covil”, “Ópera”, por “Uma canção desnaturada”, “Palavra de mulher”, “Aquela mulher”, e “Las muchachas de Copacabana”;

Artes Visuais:

Exclusão da obra “Vacas”, de Artes Visuais;

Exclusão da obra “Estátua de Carlos Drummond de Andrade”;

Exclusão da obra “grafites” (Os Gêmeos);

Exclusão da obra “pinturas rupestres”;

Exclusão da obra “A Velha” – 1513;

Exclusão da obra “Moça com brinco de pérolas”;

Substituição das obras “Meteoro” e “Condor” pela obra “Os Guerreiros” (Os Candangos), de Bruno Giorgi;

Exclusão da obra “Pelourinho”;

Exclusão da obra “Stonehenge”;

Exclusão da obra “O Beijo”, de Waldemar Cordeiro;

Substituir a obra “O Acampamento dos Sem Terra”, de Sebastião Salgado, pela série “Crianças de açúcar”, de Vik Muniz;

Inclusão das obras “Dança dos Tarairiu”(Tapuias) – s/d e “Servo de Dom Miguel de Castro com Cesto Decorado” – s/d, de Albert Van Eckhout (1610-1666).