Notícia

Correio Popular

Nova linguagem permite que computadores pensem

Publicado em 26 junho 2005

Uma nova linguagem de programação pretende dar um passo à frente para a mudança desse cenário, ao permitir que computadores possam "refletir" sobre as implicações das ordens dadas a eles. O desenvolvimento foi feito por pesquisadores do Instituto Nacional de Padrões e Tecnologias (Nist, na sigla em inglês), dos Estados Unidos, e de instituições da Alemanha, França, Japão e do Reino Unido.

O objetivo inicial da linguagem, que leva o nome ISO 18629, é permitir a construção de sistemas industriais mais eficientes. A novidade, baseada em inteligência artificial e análise lingüística, reúne uma estrutura com cerca de 300 conceitos, tais como duração e seqüência, que possibilita à máquina interpretar ordens, ainda que relativamente complexas.

Por exemplo, uma pessoa que ouve o comando "pinte antes de empacotar" ou "antes de terminar a montagem, esfrie a peça" sabe que a palavra "antes" tem significados diferentes nos dois casos. No primeiro, a ação "pintar" deve ser feita antes de iniciar a seguinte, "empacotar". No segundo, o esfriamento da peça pode ser feito em qualquer momento durante a montagem. A ISO 18629 permite que o computador interprete as diferenças em casos como esse.

Agência Fapesp