Notícia

Jornal Integração online

Nova diretoria da Aciesp toma posse e busca parcerias

Publicado em 18 outubro 2019

A Academia de Ciências do Estado de São Paulo (Aciesp) acaba de renovar sua diretoria e prevê ações articuladas com o poder público com o objetivo de subsidiar a elaboração de políticas, introduzir jovens pesquisadores aos seus quadros e captar recursos de parceiros públicos e privados para a realização de atividades diversas, entre elas um congresso anual em que serão discutidos temas de grande impacto na sociedade.

Entre os membros que tomaram posse em setembro, para o biênio de 2019-2021, está a nova presidente, Vanderlan Bolzani, professora do Instituto de Química da Universidade Estadual Paulista (IQ-Unesp), membro do Conselho Superior da FAPESP e da coordenação do Programa BIOTA-FAPESP, além de vice-presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC).

A vice-presidência foi ocupada por Paulo Artaxo, professor do Instituto de Física da Universidade de São Paulo (IF-USP) e membro da coordenação do Programa FAPESP de Pesquisa sobre Mudanças Climáticas Globais.

O novo diretor executivo é Adriano Defini Andricopulo, professor do Instituto de Física de São Carlos (IFSC) da USP, membro do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Biodiversidade e Produtos Naturais (INCT-BioNat) e coordenador de transferência de tecnologia do Centro de Pesquisa e Inovação em Biodiversidade e Fármacos (CIBFar), um Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID) da FAPESP sediado no IFSC-USP.

“São Paulo representa quase 50% da ciência produzida no Brasil, tem três universidades estaduais – sempre entre as primeiras colocadas em diversos rankings –, universidades federais, institutos de pesquisa, além de instituições particulares bem avaliadas. Fortalecer a Aciesp, de certa forma, é referendar o que se faz no estado em termos de ciência, tecnologia e inovação”, disse Bolzani.

Por isso, segundo a pesquisadora, a Aciesp pretende ter uma atuação mais próxima dos tomadores de decisão, articulando-se para opinar sobre temas importantes para a sociedade, além de dar subsídios nas políticas públicas do estado.

“Um dos papéis das academias de ciências é auxiliar na articulação entre o que se produz de ciência e as políticas públicas. Nem sempre o cientista percebe o potencial da aplicação do que ele faz na vida das pessoas. O trabalho da Academia também é auxiliar o pesquisador nesse trabalho”, disse Artaxo.

Desafios

Outras ações da nova diretoria envolvem um recadastramento dos associados e a volta da cobrança de anuidades, além de uma maior transparência, com demonstrativos financeiros disponíveis a todos os membros, sempre com o objetivando ode fortalecimento da ACIESP.

“Queremos ter um alicerce sólido para estruturar e organizar as ações para esse próximo biênio”, disse Andricopulo.

Uma das novidades que a nova diretoria pretende instituir é a criação da categoria de sócio institucional, que existe em várias academias de ciência, entre elas a Academia Brasileira de Ciências (ABC). “A ideia é atrair parceiros públicos e privados para contribuir nas atividades-fins e na captação de recursos externos para fomentar diagnósticos e redigir documentos científicos estratégicos de interesse público-privado”, disse Andricopulo.

Com mais recursos, a Aciesp pretende realizar anualmente um congresso, no qual serão discutidos temas de grande impacto na sociedade, como novos desafios na medicina, mudanças climáticas, bioeconomia, entre outros.

Outra novidade é a consolidação da categoria de membros afiliados. São pesquisadores com até 40 anos que terão cinco anos de mandato e ajudarão nas atividades da instituição. Com isso, a diretoria busca atrair pesquisadores jovens, que poderão futuramente entrar para o quadro de membros titulares e ajudar na renovação da entidade.

Os primeiros membros afiliados já foram escolhidos para o mandato 2019-2024. A Aciesp realiza, no fim do mês de outubro, as eleições para os novos membros titulares, divididos agora em oito áreas: Matemática, Física, Química, Biologia, Geociências, Ciências da Saúde, Engenharias e Ciências Sociais.

Essa notícia também repercutiu nos veículos:
RCI Araraquara