Notícia

FAPERJ - Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro

Notas - Semana de 19 a 25 de novembro de 2015

Publicado em 19 novembro 2015

Wanderley de Souza assume a presidência da Finep

A Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) ganhou nessa semana um novo presidente: o médico e cientista Wanderley de Souza. A nomeação foi publicada nesta segunda-feira, 16 de novembro, no Diário Oficial da União, juntamente com a exoneração do cientista político Luis Manuel Rebelo Fernandes, que esteve à frente da instituição nos últimos oito meses. Formado em medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Wanderley se especializou em doenças infecciosas e parasitárias (como Chagas, leishmaniose e toxoplasmose). Suas atividades de pesquisa se concentram em estudos de biologia celular de protozoários patogênicos e de sua interação com a célula hospedeira. Professor titular do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho da UFRJ e pesquisador do Centro Nacional de Biologia Estrutural e Bioimagem da mesma universidade, Wanderley também tem uma carreira importante no serviço público. Foi secretário-executivo do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e secretário estadual de Ciência e Tecnologia, quando criou o Centro de Educação Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro (Cederj), que deu origem à Universidade Aberta do Brasil. Wanderley de Souza também foi diretor do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), vice-diretor e diretor do Instituto Carlos Chagas e primeiro reitor da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf) e da Universidade Estadual da Zona Oeste (Uezo). Membro das academias Nacional de Medicina, Brasileira de Ciências e de Ciências do Terceiro Mundo, Wanderley de Souza é consultor de instituições como a própria Finep, o CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), a Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), a FAPERJ, a Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) e a FAP-DF (Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal). Além disso, também é membro do corpo editorial de diversas publicações científicas nacionais e internacionais. Autor de mais de 600 artigos, Wanderley atua junto a várias sociedades científicas, como a Sociedade Brasileira de Microscopia Eletrônica, a Sociedade Brasileira de Protozoologia, Society of ProtozoologistsInteramerican Society for Electron MicroscopyAmerican Society for Cell Biology e American Society of Parasitologists. Mais informações: http://www.finep.gov.br

Mast inaugura nova biblioteca com a presença do ministro de C,T&I

Na próxima segunda-feira, 23 de novembro, às 16h, acontece, com a presença do ministro de Ciência, Tecnologia e Inovação (C,T&I), Celso Pansera, a inauguração da nova biblioteca do Museu de Astronomia e Ciências Afins (Mast). O novo prédio possui uma área total de 1.200 m² e três pavimentos. Nos dois primeiros, ficarão as salas de consulta, dotadas de espaços multimídia, e o acervo bibliográfico. O terceiro será destinado às atividades do Programa de Pós-Graduação em Preservação de Acervos de Ciência e Tecnologia (PPACT). Ao longo dos anos, o acervo cresceu em maiores proporções do que poderia ser guardado no espaço atual, restrito a uma única sala de 105 m². Especializada em astronomia, história da ciência, educação e divulgação da ciência, museologia, preservação e patrimônio de ciência e tecnologia, a biblioteca do Mast é aberta ao público e pode ser visitada de segunda a sexta, das 9h às 17h. No total, estão sob sua guarda cerca de 27 mil títulos. O novo prédio, financiado pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), abrigará também a coleção histórica da Academia Brasileira de Ciências (ABC), doada ao Mast. Mais informações: http://www.mast.br

Exposição apresenta cartazes do Rio como destino turístico

No âmbito das comemorações dos 450 anos da cidade, o Museu Histórico Nacional apresenta, até 24 de janeiro de 2016, a exposição "O Rio de Janeiro como destino: viagens e cartazes". Com curadoria de Paulo Knauss e Márcio A. Roiter, a mostra reúne 40 cartazes que apresentam o Rio de Janeiro como destino para viajantes de todo o mundo. São cartazes publicitários de companhias marítimas e aéreas que mantinham rotas regulares de travessia atlântica tendo o Rio de Janeiro como um de seus pontos de embarque e desembarque de passageiros. Completam a exposição documentos, medalhas e objetos. A exposição, que foi aberta ao público em geral nesta terça-feira, 17 de novembro, é uma ação conjunta do Laboratório de História Oral e Imagem do Departamento de História da Universidade Federal Fluminense (UFF), do Instituto Histórico e Geográfico do Rio de Janeiro (IHGRJ), do Museu Histórico Nacional e do Instituto Art Déco Brasil, com produção da Hólos Consultores Associados. Com o apoio da FAPERJ, foi realizado no Auditório do Museu Histórico Nacional, nestas terça e quarta-feiras, dias 17 e 18 de novembro, das 9h às 17h30, o seminário "Rio de Janeiro como destino: viagens e cartazes (1910-1970)", para debater as relações entre história, cidade e turismo e caracterizar a viagem como fato urbano a partir da história da cidade, como ponto de rotas comerciais de viagens marítimas e aéreas no século XX. Os temas abordados nesse seminário se relacionaram diretamente com a iconografia dos cartazes publicitários. Os pesquisadores brasileiros e estrangeiros aprofundaram questões como "o porto e os aeroportos"; "os transportes marítimo e aéreo"; "o turismo e as práticas de viagem e dos viajantes" e "a cultura visual e material em torno da viagem ao Rio de Janeiro". O Museu Histórico Nacional fica na Praça Marechal Âncora, s/n, Centro. Mais informações: telefone (21) 3299-0324 e http://www.museuhistoriconacional.com.br

Cientistas brasileiros participaram da construção do telescópio LSST

Um acordo firmado entre o Laboratório Interinstitucional de e-Astronomia (LIneA), o Laboratório Nacional de Astrofísica (LNA), a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) e a Academic Network at São Paulo (ANSP) vai permitir a participação de pesquisadores brasileiros no projeto de construção do Large Synoptic Survey Telescope (LSST). O Memorando de Entendimento, assinado em setembro pelas instituições, prevê investimentos em conexões de fibra óptica, ampliando a ligação entre a América do Sul e a América do Norte. Além disso, um grupo de 50 pesquisadores brasileiros participará do projeto, considerado revolucionário para a Astronomia. O LSST é um telescópio em construção em Cerro Pachón, no Chile, com previsão para entrar em operação em 2022. Somando R$ 1 bilhão em investimentos, o LSST terá capacidade para fazer o mapeamento de quase metade do céu em seis filtros por um período de dez anos. O telescópio, com 8,4 metros de diâmetro, cobre um campo de quase 10 graus quadrados, podendo mapear toda a região do céu ao qual tem acesso em apenas algumas noites. Com os dados do LSST, os cientistas vão explorar o sistema solar, estudar a estrutura de nossa galáxia e a formação e evolução de estruturas do universo. Mais informações em http://www.linea.gov.br

Toma posse o novo diretor do Parque Tecnológico da UFRJ

Em cerimônia realizada nesta segunda-feira, dia 16 de novembro, no auditório do Centro de Tecnologia (CT2), na Coppe, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), o professor José Carlos Pinto assumiu o cargo de diretor executivo do Parque Tecnológico da UFRJ. O evento contou com a presença de cerca de 300 pessoas, entre eles representantes dos governos federal, estadual e municipal, além de instituições de ensino, pesquisa, fomento e desenvolvimento de todo o País. José Carlos sucede Mauricio Guedes, que irá se aposentar e foi fundador e idealizador deste espaço que, atualmente, transforma em bens reais para a sociedade as inovações produzidas nos laboratórios da universidade. José Carlos Pinto, a partir desta data, terá a missão de conduzir o relacionamento entre as 46 empresas instaladas no Parque, a Universidade e demais agentes promotores de inovação e empreendedorismo, além de atrair novos atores de diferentes áreas para o ambiente. Mestre (1987) e doutor (1991) em Engenharia Química pela Coppe/UFRJ, ele é professor titular da UFRJ, onde ingressou como docente no Programa de Engenharia Química da Coppe, em 1992. Fez pós-doutorado, em 2000, na área de reatores químicos. José Carlos Pinto foi diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da Coppe, de 2013 a 2015, e diretor-executivo da Fundação Coppetec, instituição sem fins lucrativos, responsável pelos contratos entre empresas e universidade, de 2011 a 2015. Desde setembro de 2015 ocupava a Diretoria de Assuntos Acadêmicos da Coppe, cargo que deixa para assumir a Diretoria Executiva do Parque Tecnológico. Mais informações:http://www.parque.ufrj.br

Cadeia produtiva de terras-raras é tema de seminário no Cetem

O Centro de Tecnologia Mineral (Cetem/MCTI) promove nas quinta e sexta-feiras da próxima semana, nos dias 26 e 27 de novembro, em sua sede no Rio de Janeiro, o III Seminário Brasileiro de Terras-Raras. O encontro reunirá representantes de entidades governamentais, do Congresso Nacional, empresariado de mineração, universidades e institutos de pesquisa para discutir os avanços e a implantação de uma cadeia produtiva do mineral no país. A programação abordará temas como Articulações no âmbito da cadeia produtiva; Perspectivas atuais e futuras dos projetos das empresas de mineração; Aspectos geopolíticos e econômicos; Beneficiamento mineral e metalurgia extrativa; Avaliação geológica e caracterização tecnológica e usos, aplicações e reciclagem. Organizado pelo Cetem, Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (Setec/MCTI) e Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral (SGM/MME), o seminário contará com a participação de empresas de mineração, como a Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração, a Mineração Serra Verde, a Mineração Taboca, a Anglo American, a CRU International e entidades ligadas a pesquisas, como Eletronuclear, Universidade Federal Fluminense, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, a Universidade de São Paulo e a Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais. Terra-rara é um mineral estratégico, cujos compostos tem como principais aplicações imãs permanentes para motores miniaturizados e turbinas para energia eólica; composição e polimento de vidros e lentes especiais; catalisadores de automóveis; refino de petróleo, luminóforos para tubos catódicos de televisores em cores e telas planas de televisores e monitores de computadores; ressonância magnética nuclear, cristais geradores de laser; supercondutores e absorvedores de hidrogênio e armas de precisão. O Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) calcula as reservas brasileiras de terrar-raras em 22 milhões de toneladas. O Cetem fica na Av. Pedro Calmon, 900, na Cidade Universitária, Ilha do Fundão. Mais informações: www.cetem.gov.br

Fãs de Star Wars têm encontro marcado no Planetário do Rio

Nos próximos dias 28 e 29 de novembro acontece no Planetário do Rio o maior e mais antigo encontro de geeks, cavaleiros jedi: a Convenção Nacional de Fãs de Star Warsa Jedicon. Além de debates sobre a aguardada estreia em dezembro de O Despertar da Força – sétimo filme da série e primeiro lançado pela Walt Disney –, dirigido por J.J. Abrams, o evento recebe o escritor americano Timothy Zahn, autor de diversos livros aclamados pelos fãs, que continuam as aventuras de Star Wars no Universo Expandido da saga. Também poderão ser vistos filmes produzidos por fãs, palestras de especialistas e painéis com analistas, críticos e humoristas convidados. Estão programadas ainda batalhas de sabre de luz, shows, espetáculos, venda e exposições de colecionáveis e produtos relacionados ao tema. Haverá o lançamento do Almanaque Jedi, um manual de fã para fã escrito pelos próprios coordenadores do Conselho Jedi Rio de Janeiro. Atração à parte será o inédito casamento jedi, na Cúpula Galileu. Os ingressos já estão à venda e podem ser adquiridos com desconto por meio do site www.ingresso.com/hotsite/jedicon2015rj. Crianças até 6 anos não pagam e de 7 a 12 pagam meia-entrada. Quem levar um quilo de alimento não perecível (exceto sal) paga meia entrada. Os alimentos serão doados para instituições sociais. O planetário fica na Rua Vice-Governador Rúbens Berardo, 100, Gávea. Mais informações em http://www.jedirio.com.br/eventos/jedicon

Agronegócio e agricultura familiar no Brasil é tema de seminário

O Programa de Pós-Graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (CPDA/UFRRJ), o curso de especialização em Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável em Assentamentos Rurais (UFRRJ) e a ActionAid Brasil realizaram, nos dias 18 e 19 de novembro, o seminário Agronegócio e Agricultura Familiar no Brasil: cenários e perspectivas. O evento ocorreu na sede do CPDA, situado à Avenida Presidente Vargas, 417, 6º andar, Centro, Rio de Janeiro – RJ, com a parceria do Laboratório Interdisciplinar de Estudos em Relações Internacionais (LieriI-UFRRJ). O seminário teve o objetivo de refletir sobre o cenário atual e as perspectivas que estão postas para o setor agropecuário e o meio rural brasileiro. A primeira mesa, intitulada O Brasil nos fluxos internacionais de commodities agrícolas: cenários atuais, contou com a participação do Embaixador Carlos Cozendey (MRE), de Marta Castillo (IE-UFRJ), de Paulo Esteves (Brics Policy Center) e de Gonzalo Berrón (Rebrip). A segunda mesa, com o título Agroenergia: um balanço da experiência brasileira, teve a participação de John Wilkinson (CPDA/UFRRJ), Gerardo Cerdas Vega (Ibase/Gemap/CPDA/UFRRJ), Georges Flexor (CPDA/UFRRJ) e Andrey Cordeiro (CPDA/UFRRJ). Também foi apresentado o filme Biocombustíveis: energia não mata fome – o caso do assentamento Roseli Nunes, realizado pela ActionAid Brasil e FASE-MT. A terceira e última mesa teve como tema A agricultura familiar e arranjos institucionais de políticas públicas no Brasil. O debate foi conduzido por Catia Grisa (PGDR/UFRGS), Caio França (MDA), Jean Marc von der Weid (ASPTA) e Jorge Romano (ActionAid Brasil). Também foi exibido o documentário “As sementes” de José Roberto Novaes (IE-UFRJ). Dois livros tiveram lançamento no evento: O Brasil Made in China, de Camila Moreno, e o Metodologia, Teoria do Conhecimento e Pesquisa-ação, de João Guedes Pinto. Mais informações: http://portal.ufrrj.br