Notícia

Jornal da Unesp

Noroeste Paulista tem mais informações sobre clima

Publicado em 01 novembro 2011

Por Fernando Braz Tangerino Hernandez

Vivemos numa sociedade espantosamente dinâmica e, quando se pensa nas condições climáticas, em especial no tempo, chuva, seca, ventos, inundação, tudo isso parece estar "meio diferente mesmo". Esses temas são cada vez mais frequentes na mídia em geral e incorporados ao nosso cotidiano, revelando oportunidades no mercado de trabalho. Mas exigem que muitos profissionais se reinventem e estejam atentos para as novas tecnologias e conhecimentos.

Desastres naturais e catástrofes ambientais são cadas vez mais Frequentes. Um desastre natural é uma catástrofe que ocorre quando um evento físico perigoso provoca direta ou indiretamente danos extensos à propriedade,faz um grande número de vítimas, ou ambas as coisas. Em áreas onde não há nenhum interesse humano, os fenômenos naturais não resultam em desastres naturais.

Assim, conhecer as variáveis climáticas é cada vez mais importante em todas as áreas do conhecimento, e muitos ainda não perceberam isso. Monitorar o clima e a água (vazão e qualidade) permite antecipar processos, realizar projetos mais adequados às diferentes situações e/ou explicar fenômenos.

Fenômenos climáticos adversos, em maior ou menor grau, afetam todas as pessoas. Por exemplo, a falta de chuva pode derrubar a produtividade das culturas ou inviabilizar o plantio. O excesso de água pode dificultar a colheita. Assim, o esforço, a energia e os recursos utilizados para garantir as elevadas produtividades podem ser minimizados pela dificuldade em realizar a colheita, como aconteceu com a soja em nossa região este ano. Também a moda inverno está mais cara pelo fato de que a produção" de algodão foi afetada em várias regiões produtoras, ao mesmo tempo que o oeste da Bahia está rindo à toa, porque lá o clima ajudou e se colhe a mais alta produtividade da história.

Assim, num mundo globalizado, e em uma sociedade em desenvolvimento, a informação chega em segundos a qualquer parte. Ela é e será o grande e único "produto" daqui para a frente, e estamos nos preparando para isso.

Em sintonia com essas mudanças, está em desenvolvimento o projeto"Modelagem da produtividade da água em bacias hidrográficas com mudanças de uso da terra", uma iniciativa de cooperação institucional entre a Unesp de Ilha Solteira e a Embrapa Semiárido (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), fnanciado pela Fundação de Amparo à Pesquisa no Estado de São Paulo (Fapesp) e pela Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (Facepe).

Relacionada a essa iniciativa, está sendo implantada a "Rede Agrometeorológica do Noroeste Paulista", um conjunto de estações agrometeorológicas automáticas que será a base para inúmeras pesquisas e trabalhos em geral. (Veja mapa. 1 rede já desperta a atenção de muitos profissionais, inclusive do Exterior, cada vez mais interessados em informações climáticas medidas sistematicamente. Em junho, estiveram em Ilha Solteira, para trabalhos de cooperação científica, os professores Richard Allen (Universidade de Idaho) (leia entrevista na pag. 3) e Christopher Neale (Universidade do Estado de Utah), líderes de pesquisa em evapotranspiração e sem soriamento remoto, para estudos ambientais em recursos hídricos em grande escala).

Já está disponível também desde janeiro, com crescente número de acessos e páginas visitadas, o Portal do Clima da Unesp de Ilha Solteira (http://climafeis.unesp.br). Nele, qualquer internauta, pesquisador ou não, pode saber como o tempo está variando, com dados atualizados a cada cinco minutos e gráficos atualizados a cada hora das principais variáveis climáticas do Noroeste Paulista. Entre essas variáveis inclui-se a evapotranspiração, que é a perda de água para a atmosfera na forma de evaporação do solo e transpiração das plantas, e que deve ser reposta ao solo por chuva ou irrigação. Assim, ao estimá-la, pode-se aumentar a eficiência do uso da água, cada vez mais escassa e objetivo final do projeto.

Assim, a Unesp de Ilha Solteira já disponibiliza gratuitamente informações à sociedade, contribuindo para que possamos fazer do clima e da água nossos aliados na modernização e no entendimento das mudanças no meio ambiente do Noroeste Paulista, integrando em seus projetos pesquisa, ensino e extensão.

Fernando Braz Tangerino Hernandez é engenheiro agrônomo e professor titular da Unesp Ilha Solteira, área de Hidráulica e Irrigação (http:// www.agr.feis.unesp.br/irrigacao.php). Coordena a implantação da Rede Agrometeorológica do Noroeste Paulista, http://clima.feis.unesp.br