Notícia

Consumidor RS

Nobel de medicina inaugura Centro Internacional de Pesquisa e Ensino em Oncologia

Publicado em 01 agosto 2010

Determinado a dar maior projeção internacional à pesquisa oncológica feita no Brasil e trazer mais qualidade à ciência no país, o hospital inaugura uma nova sede para o seu Centro Internacional de Pesquisa e Ensino (CIPE), que vai abrigar e centralizar toda a produção científica e o ensino da instituição, líder no país segundo avaliação do Ministério da Educação / CAPES em toda esta década.

Com quatro mil m², o novo CIPE tem infra-estrutura e tecnologia só comparáveis às de centros internacionais e será inaugurado pelo cientista alemão Harald zur Hausen - que em 2008 recebeu o Prêmio Nobel de Medicina por identificar a relação do papilomavírus (HPV) com tumores como o de colo do útero, o segundo mais frequente em mulheres no Brasil. Zur Hausen é um dos principais convidados do encontro internacional de Patologia, de quatro a sete de agosto, organizado anualmente pelo A.C.Camargo. Em duas aulas, apresentará detalhes sobre um dos mais caros temas da atualidade: a relação entre infecção e câncer.

Já o patologista Craig Allred, da Universidade de Washington, cientista que desenvolveu o score hoje adotado em todo o mundo no diagnóstico diferencial do câncer de mama, vai mostrar detalhes de sua técnica, além de mostrar como prever com certa precisão os resultados do tratamento oncológico a partir de um determinado diagnóstico. O evento reunirá ainda especialistas dos principais centros de pesquisa europeus e norte-americanos como a University College of London (Inglaterra); University of Edinburgh, (Escócia); University of Toronto (Canadá); M.D.Anderson Cancer Center (EUA), e outras, além de cientistas brasileiros do Instituto Ludwig, USP, Unesp, Unifesp, UFRJ e UFMG.

O cientista Ricardo Brentani, presidente da Fundação Antônio Prudente, mantenedora do Hospital A.C.Camargo, afirma que o novo CIPE coloca a pesquisa em câncer em condições privilegiadas. "Não temos no Brasil uma infra-estrutura compatível com esta. Adquirimos equipamentos únicos no país, como o sequenciador que pode realizar genomas completos de um ser humano em menos de uma semana, e temos algumas das melhores cabeças da ciência oncológica reunidos num mesmo ambiente", diz.

Brentani ressalta que o desenvolvimento científico reflete em benefícios diretos ao paciente, um diferencial do hospital e também de suas linhas de ensino e pesquisa. "Sete entre dez de nossos pesquisadores integram o corpo clínico do A.C.Camargo, o que significa que seu conhecimento reflete na prática médica. O trabalho desses cientistas retorna para o paciente na forma de um tratamento mais eficaz" afirma.

Sem similares no mundo, o sequenciador de DNA foi adquirido pelo CEPID Antônio Prudente, programa de pesquisas com aporte regular de recursos pela Fapesp, desde 2001. O equipamento permite a realização de 500 milhões de sequências em uma semana e vai beneficiar todos os projetos de pesquisa genômica em curso no A.C.Camargo, um dos principais diferenciais da instituição.

"Com o novo sequenciador, o pesquisador pode detectar mutações em genes de maneira mais rápida, a um custo muito mais acessível. O primeiro genoma humano levou 15 anos para ser sequenciado, a um custo de cerca de US$ 15 bilhões. Se na época existisse a tecnologia que o

A.C.Camargo passa a ter agora, o mesmo trabalho teria sido realizado em uma semana a um custo estimado de US$ 5 ou US$ 10 mil", afirma o cientista, Emmanuel Dias-Neto, que no final dos anos 90 criou o método Orestes, um dos responsáveis por colocar o Brasil em destaque internacional na pesquisa genômica.

Principais nomes da Patologia internacional

Responsável pela descoberta da relação entre Papilomavírus Humano (HPV) e câncer, o cientista alemão e prêmio Nobel de Medicina de 2008, Harald zur Hausen, do Centro de Pesquisa em Câncer de Heidelberg, na Alemanha, será um dos destaques do III Encontro de Patologia Investigativa e XIII Jornada Internacional de Patologia entre os dias 4 e 7 de agosto, em São Paulo, ambos coordenados pelo patologista Fernando Soares, diretor da Pós-Graduação do Hospital.

Hausen identificou em 1983 a presença do HPV tipo 16 em biópsias de mulheres com câncer do colo do útero. No ano seguinte foi a vez de associar a doença também com o tipo 18. Os dois são encontrados em aproximadamente 70% das biópsias desse tipo de câncer em todo o mundo, o segundo mais comum em mulheres, atrás apenas do câncer de mama. As estimativas para o biênio 2010/2011 apontam para 18 mil novos casos/ano no Brasil. Diversos tipos de câncer, como os de boca, garganta e pênis, também estão ligados ao HPV.

A incidência do vírus - e conseguintemente dos tumores - está ligada à falta de higiene e condições básicas de saúde, além da diversidade de parceiros e do sexo desprotegido. No início desta década veio a primeira vacina, resultado de uma pesquisa de mais de dez anos em que o A.C.Camargo foi um dos principais contribuintes. A programação dos eventos está no site do Hospital: http://www.accamargo.org.br/centrodeensino

Sobre o Hospital A.C.Camargo

Instituição filantrópica criada em 1953 por Antônio e Carmen Prudente, o Hospital A.C.Camargo é um dos maiores centros de tratamento oncológico da América Latina. De forma integrada e multidisciplinar, atua na prevenção, diagnóstico e tratamento ambulatorial e cirúrgico dos mais de 800 tipos de câncer identificados pela Medicina, divididos em mais de 40 especialidades. A cada ano identifica e trata 14 mil novos casos da doença, com pacientes de diversas partes do país e exterior, totalizando mais de 950 mil atendimentos (consultas, exames laboratoriais e por imagem, internações, cirurgias, quimioterapia e radioterapia, entre outros). Seu corpo clínico é composto por uma equipe fechada de 403 médicos especialistas, a maior parte com mestrado e doutorado. A dedicação e interação destes profissionais em atividades interdisciplinares, resulta em um tratamento com melhores índices de sucesso, só comparáveis aos observados em centros oncológicos da América do Norte e Europa.

Na área de ensino, o A.C.Camargo criou a 1ª Residência em Oncologia do país, em 1953, e é responsável pela formação de um em cada três oncologistas em atividade no Brasil. Sua pós-graduação, criada em 1997, é a única em um hospital privado reconhecida pelo Ministério da Educação e foi avaliada com nota máxima durante toda essa década pela CAPES, tornando-se assim, entre escolas públicas e privadas, a melhor do país em Oncologia e uma das duas melhores em Medicina. Tem a maior produção científica da área, com mais de mil trabalhos publicados na última década nas principais revistas internacionais de alto impacto. Centralizou em 2000 o Genoma do Câncer no Brasil, financiado pela Fapesp e Instituto Ludwig, instituição de pesquisas em câncer que o A.C.Camargo abrigou por mais de 20 anos.

Em 2009, o Hospital foi apontado, pela edição 500 Melhores Empresas da revista Istoé Dinheiro, como uma das melhores em Saúde pelo terceiro ano consecutivo. No mesmo ano foi eleito pelo Guia Você S/A Exame como uma das Melhores Empresas para Você Trabalhar e pela segunda vez consecutiva está entre as 10 melhores empresas de serviços médicos do Brasil na Gestão de Pessoas, de acordo com o anuário Valor Carreira.

Fonte: Inter.comunique. Autor: Moura Leite Netto. Revisão e Edição: Luiza Müller