Notícia

ANTP - Associação Nacional de Transportes Públicos

Newsletter Mobilidade e Conjuntura Nº 128

Publicado em 02 fevereiro 2016

Editorial

 

Mobilidade e futuro, de olho no presente...

 

 

O assunto Uber voltou à cena. Assunto que continua na pauta desde que surgiu e, tudo indica, tão cedo não sairá das páginas dos jornais e telas da TV. Ora como matéria analítica, ora frequentando as páginas policiais, a questão do aplicativo reflete um universo significativo de mudanças no mundo da mobilidade urbana. Mudanças que vitimizam não somente irados taxistas, como até mesmo o próprio Uber, antes marca soberana e que já começa a enfrentar concorrência de peso. Na China, o Didi Kuaidise expande com força e vigor, fruto da fusão de aplicativos de transporte rivais, controlados por dois gigantes da internet chinesas, o Alibaba e a Tencent. Muito mais que marcas, entretanto, é preciso vislumbrar o que significam tais mudanças, que vão além de questões econômicas e trabalhistas.

Uma chave para tal entendimento está seguramente no mercado online de transporte pessoal, situação que há poucos anos seria impensável. Muitas pessoas estão buscando alternativas à compra do próprio carro, um sinal dos tempos que tem tirado o sono das montadoras tradicionais. Diante do desastre, mudar e se adaptar tem sido a corrente predominante no mercado automotivo, que tenta agora se reinventar, deixando para trás o papel de montadoras para assumir o desafio de se transformarem em empresas de mobilidade. Em lugar de realizadoras de sonhos individuais, elas almejam produzir soluções para problemas urbanos decorrentes, em boa parte, da crescente urbanização. Apostam numa realidade em que o mercado não será mais composto por compradores individuais, como hoje, mas pelas empresas que operam serviços de compartilhamento de carona ou de carro.

Há quem acredite que os carros autônomos serão comuns em 2025, atingindo a condição de quase monopólio em 2030. Afora a mudança radical que trarão, as inovações a bordo dos carros autônomos, profetizam alguns, provocarão fenômenos que iriam desde um desemprego sem precedente, até uma reestruturação radical na economia, com milhões de horas de aumento de produtividade somado à criação de novas indústrias em seu rastro.

Por tudo e por todos, queda claro que mover-se nas cidades – ou entre elas – terá outra dinâmica como a que conhecemos desde os tempos em que o rodoviarismo era a mentalidade dominante. A paisagem urbana, seguramente, irá espelhar esta nova conformação. O que resta saber é como ficarão os modos tradicionais de locomoção individual motorizada, quais resistirão (e por quanto tempo), e quais já experimentam os primeiros sinais de extinção. Para o prefeito paulistano Fernando Haddad, por exemplo, "o que está em jogo não é a existência do táxi, mas do taxista."

O grande desafio que gestores e planejadores urbanos enfrentarão muito em breve reside em saber qual cidade deveremos imaginar e organizar diante de tantas revoluções e inovações na maneira de se locomover. Apesar das inovações tecnológicas ocuparem o noticiário (o impactante sobrepõe-se ao importante), elas refletem algo ainda distante e que, fundamental lembrar, mexe com um terço das viagens realizadas em regiões metropolitanas como São Paulo, por exemplo. Numa região em que 40 milhões de viagens são feitas diariamente, dois terços se distribuem entre transporte ativo (a pé e bicicleta, com um terço) e transporte de massa (outro terço). O grande busílis, portanto, continua presente na ordem do dia e ainda distante de soluções exequíveis: como transportar milhões de pessoas diariamente, com conforto, qualidade e segurança?

Esta pode não ser a discussão mais apaixonante, capaz de ocupar páginas e páginas de jornais em fervilhantes debates entre especialistas, mas sem dúvida é a mais importante para transformar as cidades em locais economicamente viáveis e cotidianamente suportáveis. Em suma, cidades para se viver com um mínimo de qualidade.

MATÉRIAS RELEVANTES NA SEMANA

TRILHOS

 

31 de Janeiro – Operação comercial do VLT começa neste domingo - A Tribuna - Santos

 

30 de Janeiro – Taques quer Veículo Leve Sobre Trilho operando, mas... - Circuito Mato Grosso

 

26 de Janeiro – Trem bioceânico será prioridade do diálogo entre Dilma e Evo Morales - Agência EFE

 

Câmara cobra definição sobre licitação do metrô em Curitiba - Bem Paraná

 

TRÂNSITO /TRANSPORTE PÚBLICO

 

1 de Fevereiro – Tarifa de R$ 3,70 a partir desta segunda não significa calmaria no transporte - Gazeta do Povo / O Estado do Paraná

 

30 de Janeiro – BNDES corta até 43% dos recursos para mobilidade do Rio - O Dia - RJ

 

29 de Janeiro –Em pesquisa, apenas 9% dos taxistas creditam redução a aplicativos como o Uber - Hoje em Dia - MG

 

27 de Janeiro – Por exigência do Ministério das Cidades, Prefeitura de SP suspende licitação de corredor de ônibus - Blog Ponto de ônibus

 

TRANSPORTE ATIVO& CIDADE

 

1 de Fevereiro – Grupos que pregam desbravar a cidade a pé ganham força em São Paulo - Folha de SP

 

29 de Janeiro –PEC dá imunidade tributária às bicicletas de fabricação nacional - Agência Senado

 

27 de Janeiro – Após suspensão do TCM, Prefeitura desiste de licitação para sistema de compartilhamento de bicicletas - Blog A Bicicleta na cidade – Folha de SP

 

Prefeitura reforma calçadas mais movimentadas - G1 SP / Folha de SP

 

SEGURANÇA VIÁRIA

 

1 de Fevereiro – Potenciais assassinos - Gregorio Duvivier  / Folha de SP

 

29 de Janeiro –Pesquisa revela que 80% dos motoristas usam o celular ao volante - Gazeta do Povo

 

ECONOMIA& NEGÓCIOS

 

28 de Janeiro – Estudo do BNDES sugere mudanças em modelo de formulação de projetos de concessão e PPPs - Valor Econômico

 

26 de Janeiro – Concessão de rodovias será teste para o país - Valor Econômico

 

TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

 

29 de Janeiro –Sem regulamentação do Uber, taxistas vão desaparecer, afirma Haddad - O Estado de SP

 

28 de Janeiro – São Paulo deve ter pontos de ônibus de alta tecnologia a partir de 2017 - Blog Ponto de ônibus

 

AMBIENTE

 

28 de Janeiro – Queda do petróleo coloca renováveis em risco no Brasil – José Goldemberg/Valor Econômico

26 de Janeiro – Salvador instala ponto de ônibus sustentável com vegetação no teto - iBahia