Notícia

Jornal da Tarde

Nepomuceno Mail pra chamar de seu

Publicado em 01 novembro 2001

Por pontonet@pontonet.com.br
No futuro, todas as pessoas vão preferir ter um e-mail fixo, do nascimento até a cova. O meu poderia ser, por exemplo, email@carlos.nepomuceno.nom.br. E será apenas esse, um só, do dia da chegada ao mundo até migrar para o carlos@outrolado.com.br. Quem sabe nossos bisnetos já recebam um na certidão de nascimento! Duvidam? Já baixaram algo parecido com "anota aí meu novo e-mail" ou "olha, briguei com meu provedor e vou mudar de novo o correio". Ou seja, ter um endereço fixo ê vital, quando se usa muito a internet. Escolher um definitivo, entretanto, é algo complicado. Se optar pelo nome da família, conforme as regras brasileiras, ditadas pelo Comitê Gestor, será necessário escolher nome e sobrenome. Pode: email@carlos.nepomuceno.nom.br, mas não pode: carlos@nepomuceno.nom.br. É válido optar, então, pela profissão. Aceitam: carlos@nepomuceno.jor.br (de jornalista). Se tiver uma empresa, é viável: carlos@nepomuceno.com.br. Em todos os casos, é necessário saber se a extensão pretendida ainda está disponível. Para pesquisar, vá para registro.br. Para um brasileiro ter um domínio de pessoa física ou profissional liberal, deve pagar uma única vez à Fapesp (órgão gerenciador) R$ 40, e mais R$ 40 de anuidade. O mesmo valor que paga uma empresa! Não é tão caro, mas tem de necessariamente abrigar o dito cujo em um provedor, que cobra um valor de, no mínimo, R$ 20 por mês para mantê-lo ativo, mais uma taxa de instalação. Nesse preço achei www.dominal.com/rdoregistrar.asp. A vantagem do domínio é que ele passa legalmente a pertencer ao internauta. Quando se muda de provedor, leva-se ele junto. Outra vantagem: ao se colocar uma página no ar, ela terá também esse mesmo endereço: www.nepomuceno.jor.br. Somando-se os preços acima, gasta-se hoje uns R$ 280 por ano, fora as taxas de instalação. Viável para um certo tipo de internauta. Não é à toa que de março de 98 até aqui, 10 mil profissionais liberais, liderados por 2.153 advogados, já aderiram às suas respectivas extensões e apenas 3 mil internautas optaram pelo .nom.br. Veja em registro.br/estatis-ticas.html. Quem não quiser gastar tanto, pode optar por um serviço grátis como o do email.com.br. Com o final .net, existem vários domínios com referências a cidades, profissões, hobbies e times de futebol. A saída, a médio prazo, será a escolha de um domínio personalizado, mas para que isso realmente valha a pena os preços têm de baixar.