Notícia

Terra da Gente

Navio oceanográfico da USP vai auxiliar em pesquisas no País

Publicado em 01 junho 2012

O navio oceanográfico Alpha Crucis foi inaugurado no porto de Santos (SP). A embarcação adquirida pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) para o Instituto Oceanográfico (IO) da Universidade de São Paulo (USP) vai substituir o navio Professor W. Besnard. Utilizada entre 1967 e 2008, a embarcação ficou sem condições operacionais de pesquisa após um incêndio, limitando drasticamente os estudos oceanográficos no Estado.


O Alpha Crucis é o navio oceanográfico mais moderno do Brasil. Além de impulsionar a pesquisa oceanográfica também deverá incrementar grandes programas de pesquisa da Fundação, como o Fapesp de Pesquisa sobre Mudanças Climáticas Globais e o Biota-Fapesp.


Entre outros equipamentos, o Alpha Crucis conta com um sonar multifeixe. “É um equipamento fantástico, que permite produzir um mapa tridimensional do fundo do oceano. Conforme a navegação avança, o aparelho lê o relevo do fundo, em tempo real, em uma faixa ao redor do navio”, explica Luiz Vianna Nonnato, pesquisador-chefe do navio.


Além de permitir que o IO-USP dê continuidade às suas pesquisas, o navio vai beneficiar toda a comunidade científica. “Pesquisadores das universidades estaduais paulistas e de outras instituições brasileiras que tiverem projetos de pesquisa importantes serão beneficiados”, diz Celso Lafer, presidente da Fapesp. “Na luta para adquirir o novo navio, todos nós saímos vencedores.”


Originalmente, o navio pertencia à Universidade do Havaí e tinha o nome Moana Wave. Depois da aquisição, a embarcação passou por reformas e modificações durante 10 meses, em Seattle, nos Estados Unidos. Com 64 metros de comprimento por 11 metros de largura, o Alpha Crucis tem capacidade para levar 20 pesquisadores e 20 tripulantes.


Uma das vantagens do Alpha Crucis é que se trata de um navio de uso geral projetado especialmente para o uso em pesquisa oceanográfica.

Com informações da Agência FAPESP