Notícia

Cosméticos Br

Natura e FAPESP criam centro de pesquisa em bem-estar em parceria com USP e UNIFESP

Publicado em 25 março 2015

Em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), a Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), a Natura lançará em 2015 um centro de pesquisa com foco em bem-estar.

O investimento na implantação e na condução do Centro de Pesquisa Aplicada em Bem-Estar e Comportamento Humano, que terá sede na USP será de R$ 20 milhões em dez anos, divididos igualmente entre a Natura e a FAPESP, e com contrapartida equivalente das universidades. 

O objetivo do Centro é desenvolver pesquisas sólidas de conhecimento para a avaliação e promoção do bem-estar a partir da integração de diferentes áreas do conhecimento, como neurociência, psicologia positiva e psicologia social, ciências da saúde, humanas e sociais aplicadas.

“Este é um modelo único de centro integrado envolvendo uma empresa brasileira para investigar um tema que também é inédito na academia”, diz Gerson Pinto, vice-presidente de inovação da Natura.

A proposta científica selecionada, divulgada pela FAPESP, foi submetida pela professora Emma Otta, do Instituto de Psicologia da USP. O projeto eleito traz a excelência técnica de um consagrado grupo de mais de 40 cientistas e suas equipes, atuando em áreas de conhecimento complementares em instituições de todo o Brasil, como USP, UNIFESP e Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), além de instituições internacionais como New York University e Washington State University.

“Multidisciplinar e na fronteira do conhecimento, o novo centro combinará as melhores práticas dos programas de inovação e difusão tecnológica da FAPESP, para conectar a pesquisa científica com a inovação e transferência de tecnologia”, afirma Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da FAPESP.

A Natura tem a promoção do bem-estar como sua razão de ser e estuda internamente o tema. Com o novo centro de pesquisas, vai ampliar sua investigação de padrões culturais e sociais, que posteriormente podem ser aplicados em novos produtos, conceitos e serviços.