Notícia

DCI

Nanoarte ganha exposição no Espaço Cultural de Araraquara

Publicado em 20 janeiro 2014

Por Bete Cervi

ARARAQUARA - O Espaço Cultural da Câmara Municipal de Araraquara, interior de São Paulo, abriu a programação de exposições de 2014 na quinta-feira, dia 16 de janeiro, com a Nanoarte, uma expressão artística recente, surgida com a nanotecnologia.

Estão expostas 30 imagens obtidas por meio de microscópio eletrônico de varredura e microscópio de força atômica pelos técnicos e pesquisadores do Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais (CDMF), cuja sede é no Instituto de Química da Unesp de Araraquara, e integrado por uma rede de pesquisadores da Unesp, UFSCar, USP e Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen). Dirigido pelo professor doutor Elson Longo, o CDMF é um centro de excelência financiado pela Fapesp, com apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

As imagens são resultado da análise morfológica de estruturas nanométricas de materiais pesquisados nos laboratórios de microscopia do CDMF, as quais são ampliadas, colorizadas e transformadas em arte por meio da habilidade computacional dos pesquisadores. A Nanoarte se insere em uma área de investigação em que convergem arte, ciência e tecnologia, revelando estruturas nanométricas produzidas pela natureza, as quais são invisíveis ao olho humano sem a utilização de ferramentas poderosas como os microscópios de alta precisão.

Estas morfologias foram transformadas pelos artesãos de laboratórios em imagens de um mundo surrealista, nas quais a natureza morta ganha vida, vigor e transcende o imaginário.

Premiada em Nova York

O CDMF foi premiado na exposição Nanoarte 2013, em Nova York, nos Estados Unidos. Foram expostas 20 imagens de Nanoarte elaboradas pelos pesquisadores e técnicos do CDMF, Daniela Caceta, Rorivaldo Camargo, Ricardo Tranquilin e Enio Longo. O concurso reuniu 107 imagens de 33 participantes oriundos dos EUA, Brasil, Alemanha, Canadá, Itália, Romênia, Holanda, Eslovênia, Austrália, Rússia, Japão e México.

O Centro de Desenvolvimento de Materiais Multifuncionais (CDMF) é um centro integrado de pesquisa científica e tecnológica financiado pela Fapesp, cujo foco principal é o desenvolvimento de novos materiais inorgânicos e de novas tecnologias de síntese e processamento.

A característica mais importante desse centro é a multiplicidade de suas missões. Além da missão primordial de desenvolver pesquisa em materiais cerâmicos, básica ou voltada para a inovação, focalizada em objetivos específicos, o centro tem como missão não menos importante, desenvolver mecanismos efetivos de transferência de conhecimento para a sociedade.

Entre os aspectos inovadores do Centro salienta-se o componente educacional, em todos os níveis, de sua missão. Além de desenvolver os programas de iniciação científica e de pós-graduação, vinculados a programas de renome como IQ-Unesp-Araraquara, DQ-UFSCar, IFSC-USP São Carlos, DF-UFSCar, DEMa-UFSCar e Ipen, cabe também ao CDMF realizar atividades de extensão na área de educação básica, tais como iniciação científica para alunos e professores.

"O Espaço Cultural da Câmara Municipal de Araraquara foi criado no ano passado pelo presidente, vereador João Farias (PRB), visando valorizar a produção artística local e aproximar ainda mais a população do Poder Legislativo. Tivemos quatro projetos premiados como "Câmara Destaque UVB 2013" no Encontro Nacional de Vereadores, realizado em Brasília: "Escola do Legislativo", "Sessão Cidadã", eleição para o "Controle Interno da Câmara" e a utilização da Linguagem Brasileira de Sinais (Libras) nas transmissões da TV Câmara, como "projeto de inclusão e cidadania", diz o vereador.