Notícia

APCD - Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas

Na mira do cristal

Publicado em 02 fevereiro 2006

Um cristal de brometo de tálio desenvolvido no Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN), colocado na ponta de uma sonda cirúrgica, auxilia o cirurgião na incisão precisa dos tecidos afetados por células cancerígenas e na identificação de linfonodos - os pontos de confluência da rede linfática - durante a cirurgia.
Os grandes centros de medicina nuclear do país já dispõem de sondas radioguiadas feitas com outros cristais, como o iodeto de césio e o telureto de cádmio, mas elas são importadas e custam entre 20 mil e 40 mil dólares
A estimativa é que o preço desta sonda fique em torno de 6 mil dólares , com a mesma qualidade. "O alto preço dos equipamentos importados e a falta de assistência técnica foram os motivos que levaram alguns cirurgiões a nos procurar para desenvolver uma sonda nacional", revela a coordenadora da pesquisa, Margarida Mizue Hamada, do Laboratório de Desenvolvimento de Sensores de Radiação do IPEN.
Além da utilidade científica, o cristal de brometo de tálio lembra o âmbar-amarelo, uma resina fóssil proveniente de pinheiros pré-históricos extintos de grande beleza.
No laboratório do IPEN, que é vinculado a USP, trabalham vários grupos na área de crescimento de cristais e na preparação e caracterização desses materiais como detectores de radiação para diversas aplicações na área de saúde.
Revista Pesquisa FAPESP