Notícia

Jabaquara News

Museu Lasar Segall disponibiliza acervo online do Teatro Brasileiro

Publicado em 24 fevereiro 2021

Nesta época de pandemia, o melhor é ficar em casa, mas isso não quer dizer isolado que você não pode visitar um teatro. Todo o acervo digitalizado do TBC pode ser consultado pelo público através do site da Biblioteca Jenny Klabin Segall, do Museu Lasar Segall.

O acervo inclui programas, cartazes, convites, folhetos, críticas e outros itens, que foram digitalizados pela Biblioteca Jenny Klabin Segall graças a financiamento do Edital Proac (Programa Ação Cultural – Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo) voltado à Implantação de bibliotecas digitais. O projeto foi realizado em parceria com a Funarte, atual proprietária do TBC, e da FAPESP/SciELO/Bireme.

“A digitalização e disponibilização é de grande interesse cultural uma vez que contribui para a preservação desse acervo e garante às futuras gerações o acesso a esses documentos, sem que seja necessário recorrer aos originais em papel”, explica o coordenador da Biblioteca Jenny Klabin Segall, Paulo Pina.

Inaugurado em 1948 no bairro da Bela Vista, na região central paulistana, por iniciativa do industrial de origem italiana Franco Zampari (1898-1966), o Teatro Brasileiro de Comédia transformou os rumos da cena teatral brasileira.

Marco na história da arte dramática nacional, o TBC colaborou para a profissionalização do setor e abrigou alguns dos principais nomes do teatro brasileiro em todos os tempos, como Cacilda Becker, Cleyde Yáconis, Fernanda Montenegro, Fernando Torres, Nydia Licia, Paulo Autran, Sérgio Cardoso, Tônia Carrero e Walmor Chagas. Levou aos palcos, além de célebres peças internacionais, textos de dramaturgos brasileiros como Abílio Pereira de Almeida, Gianfrancesco Guarnieri, Jorge Andrade e Lucia Benedetti.

Especializada nas artes do espetáculo – teatro, dança, ópera e circo – e em fotografia, a Biblioteca Jenny Klabin Segall, do Museu Lasar Segall, guarda um acervo relacionado ao TBC que abarca diferentes tipos de materiais sobre 223 montagens teatrais realizadas durante o período de existência da Companhia. É o primeiro desta amplitude a ser digitalizado e colocado agora à disposição do público.

Proveniente de diferentes doações realizadas nos anos 1970 e 1980 por figuras eminentes da cena teatral paulista como a atriz Cleyde Yáconis (1923-2013), o homem de teatro Milton Andrade (1937-2009) e da coleção da Escola de Arte Dramática da USP, reunida originalmente por Alfredo Mesquita (1907-1986), entre outros, o vasto conjunto documental reúne a memória das atividades da companhia TBC durante seus 16 anos de intensa atividade (1948-1964).