Notícia

O Estado do Paraná

Mulheres na pesca, sorte na certa

Publicado em 22 junho 2008

Agência Fapesp - Na mitologia amazônica, a presença da mulher na pescaria é sinônimo de panema, ou azar no resultado, devido à sua suposta impureza. Partindo desse ponto de vista, pesquisadores da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) investigaram o deslocamento dos papéis de gênero em comunidades de pescadores na região. A antropóloga Iraíldes Caldas Torres analisou a participação das mulheres na comunidade Lago dos Reis, no interior do Amazonas, onde até recentemente estavam impedidas de atuar por conta do mito. Lá, a pesca se tornou atividade realizada majoritariamente por elas. Esse crescimento ficou evidente na cooperativa de pesca local, na qual as pescadoras representam 80% dos cadastrados. “As mulheres assumem a pesca como uma atividade de trabalho, não como um passatempo e muito menos como uma atividade meramente passageira. Isso está ligado ao papel delas na Amazônia como chefes de família”, explicou. A pesquisa mostrou que, ao iniciar uma atividade remunerada, essas mulheres reafirmam a feminilidade, superando as amarras mitológicas.