Notícia

A Cidade (Ribeirão Preto) online

Movimento pela Inovação volta a Ribeirão Preto

Publicado em 11 agosto 2016

O Movimento pela Inovação, promovido pela Desenvolve SP (Agência de Desenvolvimento Paulista), volta a Ribeirão Preto entre os dias 23 e 25 de agosto.

 

É a segunda vez que o evento acontece na cidade com objetivo de incentivar os investimentos em inovação no estado de São Paulo. Para isso, técnicos da Agência realizarão atendimento especializado indicando o apoio mais adequado para que empresários e pesquisadores possam tirar os projetos do papel e coloca-los no mercado.

 

O atendimento do Movimento pela Inovação será no Supera Parque de Inovação e Tecnologia. Durante os três dias, a equipe da Desenvolve SP irá conhecer projetos das empresas e orientar sobre linhas de financiamento, de subvenção (voltada para a fase de pesquisa) ou sobre recursos oriundos de fundos de Investimentos em Participação (para empresas com forte capacidade de crescimento e inovação).

 

Para participar, os empresários e pesquisadores devem agendar um horário por meio do site. Os atendimentos são gratuitos e serão realizados das 9h às 11h e das 14h às 17h, mas as vagas são limitadas: a previsão é que sejam realizados 72 atendimentos individuais. A palestra de abertura acontecerá no dia 23 de agosto, às 09h.

 

Atendimento será realizado no Supera Parque de Inovação e Tecnologia (Foto: Weber Sian / A Cidade)

 

Em 2015, o Movimento pela Inovação bateu recorde de agendamentos em Ribeirão Preto. “A procura foi muito grande pelas orientações do Movimento, ultrapassando o número de horários disponíveis para atendimento. Dos 92 agendamentos, a Desenvolve SP realizou 85 atendimentos”, enfatiza Eduardo Cicconi, gerente do Parque Tecnológico.

 

Movimento Pela Inovação

 

O Movimento pela Inovação é uma iniciativa da Desenvolve SP, com a participação de importantes instituições como FAPESP, Embrapii, Centro Paula Souza, Sebrae-SP, Finep, BNDES, entre outros.

 

A ação pretende apoiar empresas, startups e pesquisadores a investir em inovação, encurtando a distância entre os centros de pesquisa, empresas e instituições de fomento, para transformar o conhecimento produzido em parques tecnológicos, incubadoras e universidades em produtos e negócios de sucesso, gerando empregos e renda.