Notícia

Movimento.com

Movimento Centro de Música Brasileira apresenta concerto de canto, flauta e piano

Publicado em 12 maio 2016

No dia 21 de maio, sábado, às 20h., o Centro de Música Brasileira (CMB) apresenta dois grupos: o Duo Ouvir Estrelas (canto e piano) e o Duo Flutuart (flauta e piano) na Sala Cultura Inglesa do Centro Brasileiro Britânico, em Pinheiros. Apoio Cultural da Cultura Inglesa de São Paulo. Grátis!

 

O Duo Ouvir Estrelas é formado pela cantora Marcela Rahal e pela pianista Eliana Monteiro da Silva. As obras trazem poemas consagrados de Cecília Meireles, Cora Coralina, Florbela Espanca, Maria José Veríssimo Homem de Mello e Olavo Bilac.

 

O Duo Flutuart, que interpretará o Recital Brasilidades, é formado pela flautista Paula Pascheto e pelo pianista Lucas Carvalho. Vários compositores serão interpretados: Cacilda Borges, Edmundo Villani-Côrtes, Eunice Katunda, Fernando Cupertino, Nilceia Baroncelli, Osvaldo Lacerda, Patápio Silva e Radamés Gnattali.

 

PROGRAMA

Duo Ouvir Estrelas

Osvaldo Lacerda

Duas canções de Florbela Espanca

I. O maior Bem

II. À morte

 

Eunice Katunda

Dois Estudos Folclóricos para piano solo

I. Canto Praiano

II. Canto de Reis

 

Nilceia Baroncelli

Ouvir Estrelas (poema de Olavo Bilac)

Os tons da claridade (piano solo)

 

Fernando Cupertino

Das pedras (poema de Cora Coralina)

Canção de Cecília (poema de Cecília Meireles)

 

Cacilda Borges Barbosa

Estudo Brasileiro nº 1 (piano solo)

Diorama 3º vol. nº 2 (piano solo)

 

Osvaldo Lacerda

Alguém bateu à minha porta (Maria José Veríssimo Homem de Mello)

Se eu fosse apenas (poema de Cecília Meireles)

Duo Flutuart – Recital Brasilidades

 

Patápio Silva (1880-1907)

Evocação Op.1

1. Andante Assai

 

Serenata D’Amore  Op.2

1. Romanza

 

Margarida Op.3

1. Mazurca

 

Primeiro Amor Op. 4

1. Valsa

 

Osvaldo Lacerda (1907-2011)

Sonata

1. Moderato

2.  Moderadamente Lento

3. Allegre

 

Edmundo Villani Côrtes (1930)

Ipê Amarelo

 

Radamés Gnattali (1906-1988)

Sonatina Re Maior

1. Allegro Moderato

2. Expressivo

3. Allegro (Lembrando Pixinguinha)

 

Temporada 2016 do Centro de Música Brasileira

 

Dia 18 de junho: – Duoboé (oboísta Gílson Barbosa e pianista Arlete Gordilho)

Dia 20 de agosto: – Quarteto Novas Tendências – Brasilidade Instrumental Brasileiro (pianistas Arlete Gordilho e Maestro Rodrigo Vitta, percussionistas Roberto Saltini e Douglas Maiochi)

Dia 17 de Setembro: Festival Antônio Ribeiro (participantes: pianistas Rosana Civile, Renato Figueiredo e Míriam Braga; e o saxofonista Erik Heimann Pais) – Sandro Bodilon (barítono) e Scheilla Glaser (piano)

Dia 22 de Outubro: Cristiane de Leon (violino) e Valdilice de Carvalho (piano)

In Tempori Duo (Eliana e Carlos Sulpício – Percussão e Trombeta)

Dia 19 de Novembro: Antônio Carlos Magalhães (cravo) e Maria José Carrasqueira (piano)

 

Currículos os músicos de maio

Paula Pascheto – Flauta

 

Natural de São Paulo, iniciou seus estudos musicais aos 7 anos com a professora Isa Uehara, ingressou na Universidade Livre de Música (atual EMESP) em 1999 sob orientação da professora Ana Amélia Wingeter (flauta) e Alfeu Araújo (música de câmara). Ingressou na Faculdade Alcântara Machado em 2005 sob orientação do mestre Marcos Kiehl (flauta), Rogério Zaghi e Marília Pini (música de câmara). Em 2006, entrou na Escola Municipal de Música sob orientação do mestre Jean Noel Saghaard.

 

Fez parte dos grupos sinfônicos: Banda Sinfônica Jovem Do Estado De São Paulo, Camerata da Faam, Banda Municipal de Cotia, Quinteto Paulistano,  entre outros. Participou dos festivais de Campos do Jordão e Campos dos Goytacases, Música no Verde, entre outros. Participou de masterclass com os flautistas Emanuel Pahud (2000), Mary Clardy (2002), Edson Beltrami (2002), Tadeu Coelho (2004), Renato Axlhuld (2005), Renato Kimachi (2006), Rogério Wolf (2007). Fez turnê pela Itália e Suíça.

 

 

Lucas Carvalho – Piano

 

Iniciou seus estudos de piano clássico com a professora Marcilda Clis, dando continuidade com Rogério Zaghi. Em 2003, entrou para faculdade de Música Carlos Gomes, concluindo o curso de Licenciatura Plena em Música. Concluiu o curso de piano erudito avançado em 2010, pela Universidade Livre de Música- EMESP onde participou de inúmeros recitais e conjuntos de câmara. Atuou em Masterclass com os pianistas Uta Weyand, Gilberto Tinetti e Maria Figa Vaello. Participou de festivais de música em Londrina e Bolívia, entre outros. Na área didática, cursou Seminários de Educação Musical realizado no SESC-SP. É professor de piano. Leciona aulas em escolas como Colégio Santo Américo e Academia de Música Granja Vianna(AMGV). Atua como pianista para diversos grupos, no cenário musical de São Paulo, em eventos comerciais. Integra o Duo Flutuart com a flautista Paula Pascheto.

 

 

Marcela Rahal

 

Cantora lírica integrante da Academia de Ópera do Teatro São Pedro. Formada pelo Conservatório Dramático e Musical de Tatuí, continuou seus estudos no Ópera Studio da EMESP, sob orientação de Mauro Wrona e Laura de Souza. Ingressou na Escola de Comunicações e Artes da USP em 2012, a fim de especializar-se em Arte e Canto Lírico com os professores Francisco Campos e Ricardo Ballestero. Em 2013 foi laureada com o 1º lugar no concurso internacional “Bauru-Atlanta Competition”.

 

Atuou como solista na Ópera Treemonisha, de Scott Joplin, apresentada no XV Festival Música nas Montanhas em 2014. No mesmo ano, interpretou a personagem Marchesa Melibea na ópera “Il Viaggio a Reims”, de Gioacchino Rossini, com a Orquestra Jovem de Guarulhos regida pelo maestro Emiliano Patarra. Na ópera “Orfeu no Inferno”, de Jacques Offenbach, interpretou a personagem “Opinião Pública”, sob direção de Mauro Wrona. Em 2015, além de participar do programa Prelúdio, realizado pela TV Cultura, interpretou a personagem Miss Todd na Ópera “The Old Maid and the Thief”, de Gian Carlo Menotti, em montagem realizada pela Universidade Júlio de Mesquita Filho (UNESP). Além do universo da ópera, Marcela Rahal é conhecida pela interpretação de músicas brasileiras como Magnificat Aleluia de Villa-Lobos, que interpretou junto às orquestras OSUSP, OCAM e Coral da ECA, regidas pelo maestro Gil Jardim.

 

Eliana Monteiro da Silva

 

Pianista, professora e pesquisadora. Formou-se Bacharel em Piano na Faculdade de Música Carlos Gomes, Mestre e Doutora em Música na Escola de Comunicações e Artes da USP. Teve como professores de piano Walkyria Passos Claro, Roberto Sabag, Beatriz Balzi, Gilberto Tinetti e Heloísa Zani. Seu trabalho, tanto como intérprete quanto como pesquisadora, enfoca principalmente a divulgação e valorização da contribuição da mulher no ambiente artístico e musical. Sobre este tema já deu vários recitais-palestras e entrevistas, como no programa “Manhã Cultura”, da Rádio Cultura FM, e “Músicas que Elevam”, do canal Boa Vontade TV.

 

Sua pesquisa de Mestrado resultou no livro “Clara Schumann: compositora x mulher de compositor” e no CD “Clara Schumann: lied e piano solo”, este último em parceria com a cantora lírica Clarissa Cabral. Já a pesquisa de Doutorado sobre “Beatriz Balzi e o piano da América Latina”, com auxílio FAPESP, deu origem ao curso “Sons e Imagens da América Latina: paralelos entre a música e as artes plásticas”, que ministra no Instituto Cervantes com o pintor Juan José Balzi.

 

Foi também uma das idealizadoras do projeto “MusiMAC: arte contemporânea para ver e ouvir”, promovido pelo Museu de Arte Contemporânea e pelo Departamento de Música da USP, em 2013. Já se apresentou em recitais solo e de câmara no Centro Cultural São Paulo, Teatro Popular do SESI, MuBE, Casa de Cultura da Penha, Centro Brasileiro Britânico, Clube Athlético Paulistano, entre outros. Em 2015 homenageou o centenário da compositora Eunice Katunda em recitais no Festival Música Nova, em Ribeirão Preto; na XXI Bienal de Música Contemporânea, no Rio de Janeiro; além da Sociedade Brasileira de Eubiose e SESC Vila Mariana, em São Paulo.

 

Centro de Música Brasileira

 

CMB é uma sociedade civil sem fins lucrativos, fundada em São Paulo, em 18 de dezembro de 1984, iniciando suas atividades em 29 de abril de 1985, no Teatro de Cultura Artística (Sala Rubens Sverner), com um recital de Eudóxia de Barros. Visa defender e promover maior divulgação da música brasileira erudita de todas as épocas e estilos. Grande parte dos intérpretes que se apresentam são jovens no início de suas carreiras de instrumentistas, cantores ou regentes. Osvaldo Lacerda foi o Presidente até 2011 e atualmente é a pianista Eudóxia de Barros.

 

O CMB realizou 312 apresentações em São Paulo, e um total de 47 em cidades do interior dos Estados de São Paulo e Minas Gerais. Por duas vezes recebeu Prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte – APCA, pelo trabalho realizado em prol de nossa música. Não conta com subsídios de entidades nem particulares, nem governamentais, com exceção de esporádicos patrocínios dos prêmios dos concursos ou apoios culturais: Banco Francês e Brasileiro, Metal Leve, PADO S/A., Funarte – MINC, Rotary Club de São Paulo, Orquestra da RTC, SESC, Academia Brasileira de Música, Cultura Inglesa, Bovespa, Grupo Arão Sahm, Casa Manon, Pianos Fritz Dobbert, Orquestra Sinfônica De Campinas, Ballet Stagium, Unibero, Sabó Ind. e com Ltda., e mais recentemente, um grande apoio da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo.

 

Financeiramente, sobrevive graças às anuidades pagas por seu quadro social, e que foram estipuladas em R$ 100,00 (individual) e R$ 150,00 (casal) a partir deste ano, podendo ser enviadas para a sede da entidade: Rua Santarém, 269 Bairro Perdizes, CEP 01251-040 São Paulo-SP. Desde 1995, recebe um valioso apoio cultural da Cultura Inglesa de São Paulo, podendo realizar seus recitais mensais da temporada, na Sala Cultura Inglesa do Centro Brasileiro Britânico, em Pinheiros. Promoveu vários concursos de Interpretação, de âmbito nacional: 7 da Canção de Câmara Brasileira; 5 de Músicas Brasileiras para Piano; 2 de Músicas Brasileiras para Flauta.

 

Promoveu um Concurso de Monografia “O Dobrado” (marcha cívica e militar brasileira), e dois de Composição: o primeiro, em parceria com a Biblioteca Municipal “Mário de Andrade” (São Paulo) e mais recentemente, em 2008, um Concurso de Tocata para Piano, vencido em 1º lugar por Nelson Lin, que teve como prêmio, alem de uma vultosa quantia oferecida pela Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, ainda a impressão de sua Tocata, pela Academia Brasileira de Música. O 2º prêmio foi para Edson Sant´Anna. Foram marcantes os dois recentes Concursos promovidos pelo Centro de Música Brasileira, em dezembro de 2009, curiosamente realizados na Casa Mário de Andrade: o II Concurso de Interpretação de Músicas Brasileiras para Flauta e o V Concurso de Interpretação de Músicas Brasileiras para Piano, que tiveram grandes prêmios oferecidos pela Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo. E em 2015, o Concurso de Interpretação Pianística da obra de Osvaldo Lacerda.

 

Site: http://www.centrodemusicabrasileira.blogspot.com.br/

Facebook: https://www.facebook.com/centrodemusicabrasileira

 

SERVIÇO

Sala Cultura Inglesa do Centro Brasileiro Britânico

Rua Ferreira de Araújo, 741

Pinheiros – São Paulo

Tel: (11) 3039 0500

 

Dia 21 de maio, sábado, às 20h.

Entrada franca

Classificação Livre