Notícia

Pernambuco.com

Mostra internacional do Museu de História Natural de Nova York chega ao Brasil

Publicado em 24 dezembro 2009

Até o dia 28 de março, o público pode conhecer a inédita exposição Revolução Genômica, no Sesc Quitandinha, em Petrópolis, no Estado do Rio. A mostra do Museu de História Natural de Nova York — já atraiu um milhão de visitantes no mundo — apresenta de forma interativa e lúdica temas de genética, biologia e tecnologia. Veja vídeo sobre a mostra

Com 1.700 metros quadrados, a exposição foi adaptada ao público brasileiro e está dividida em três espaços: o Salão da Biodiversidade, A Era do Genoma e O Brasil e a Genômica. Um destaque é a instalação da biodiversidade nacional, na qual a flora e fauna são representadas por animais vivos, árvores e plantas, filmes e fotografias de Araquém Alcântara, além de projeções de gravuras do naturalista alemão Von Martius. Na Era do Genoma, a maior atração é o Genomômetro, uma sessão interativa em que o visitante compara a sua semelhança genética com a de outros seres, como chimpanzé, bactéria e arroz. Os visitantes aprendem ainda como os genes funcionam e o que é clonagem.

Tem ainda a Estação da Mutação, jogo no qual o público manipula o modelo do DNA de uma mosca e observa as mutações que isso causa. E extrai o DNA do morango no Laboratório de Aprendizagem.

No Jogo da Seleção Natural, o público simula a adaptação de espécies no ambiente em que elas vivem. Em Faça seu Transgênico, é convidado a desenvolver um transgênico numa estação touch screen.

A bióloga e curadora Eliana Dessen, coordenadora de Educação-Difusão do Centro de Estudos do Genoma Humano (Cepid-Fapesp), diz que a exposição aborda um assunto que está no dia a dia, mas que nem todos compreendem, como Projeto Genoma, testes de DNA e organismos geneticamente modificados, entre outros.

Um dos méritos da exposição é transformar o conhecimento científico e técnico numa linguagem para o leigo, de fácil compreensão e sem prejuízo do conteúdo. Não se trata de simplificação do tema, mas sim um projeto para transpor esse conhecimento, diz a curadora.

Há uma seção que mostra a aplicação da genômica na agropecuária brasileira, com o estudo de transgênicos:

Há uma parte lúdica e interativa voltada para o público infanto juvenil e informações específicas para as pessoas que já dominam o tema.

Para fevereiro estão programadas palestras com pesquisadores brasileiros trabalham com genômica (um ramo da bioquímica que estuda a constituição genética de um organismo). A mostra é uma realização do Instituto Sangari e do Sistema Fecomércio do Estado do Rio. Para visitar: Sesc Quitandinha, endereço Avenida Joaquim Rolla 2, de terça-feira a sábado, das 9h às 18h, domingos e feriados, das 9h às 17h (fechada às segundas). Preços: R$ 15, público em geral, R$ 7 (estudantes, menores de 21 anos e maiores de 60 anos) R$ 5, comerciários e gratuito para professores e estudantes de escolas públicas menores de 7 anos.

Da Agência O Globo