Notícia

O Estado do Maranhão

Morte de arqueólogo dos EUA pára pesquisa

Publicado em 16 setembro 2005

O assassinato do arqueólogo americano James Petersen provocou a interrupção dos trabalhos da equipe de cientistas do Projeto Amazônia Central. Segundo a arqueóloga Patrícia Donatti, que faz parte do grupo, formado por 30 arqueólogos e geólogos, o trabalho só será retomado em setembro em respeito ao colega, morto no sábado.
"Entendemos que continuar o trabalho é nossa maior homenagem a ele, mas precisamos de um tempo para assimilar esse absurdo", afirmou.Dois colegas americanos, presentes no momento da morte do arqueólogo, irão para os Estados Unidos, mas devem retornar ao Brasil no próximo mês.
Jim, como era chamado por amigos, colegas e alunos, era coordenador do projeto, ao lado do brasileiro Eduardo Góes Neves, da Universidade de São Paulo (USP), desenvolvido há dez anos na confluência dos Rios Negro e Solimões, no Amazonas, como patrocínio da Fundação de Amparo à Pesquisado Estado de São Paulo (Fapesp).