Notícia

UGF - Universidade Gama Filho

Morre Ricardo Brentani: pioneiro da medicina por DNA no Brasil

Publicado em 30 novembro 2011

Morre Ricardo Brentani: pioneiro da medicina por DNA no BrasilVítima de um mal súbito aos 74 anos, morreu Ricardo Brentani, um dos médicos responsáveis por fazer com que o Brasil entrasse na medicina por DNA.

Ricardo nasceu em Trieste na Itália, veio para o Brasil com apenas um ano de idade. Em 1962 se formou em medicina pela USP, se especializou em Oncologia e fez doutorado em Bioquímica também pela Universidade Paulista, onde em 1980 se tornou professor.

Brentani foi um dos responsáveis pelo sucesso do Projeto Genoma do Câncer nos anos 1990 e 2000. O projeto que era de iniciativa da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) tinha como foco o mapeamento das características genéticas dos principais tipos de tumores que atingiam a população brasileira.

A equipe manteve a atenção nos genes que estavam "ligados" apenas nos tumores. O objetivo da pesquisa é encontrar maneiras de diagnosticar a doença cedo e através do DNA tratá-la de forma específica. Mas essa é uma meta que ainda vai demorar a ser alcançada.

Para o coordenador do curso de pós graduação em Reprodução Humana Assistida da Universidade Gama Filho, Ricardo Bruno, "Ricardo Bentrani foi um pesquisador insistente e destemido, como devem ser os pesquisadores que tentam fazer alguma coisa pelo futuro da humanidade. O mapeamento genético na busca do rastreio pelo DNA de tumores possivelmente malignos, gerou um desenvolvimento neste campo de pesquisa que hoje usufruímos em outras áreas como das doenças hereditárias. A reprodução humana assistida possibilita um mapeamento genético, que vejo em um futuro bem próximo, uma melhor seleção de conceptos fugindo de características genéticas prejudiciais paternas e maternas, ou da combinação dos dois. Com o desenvolvimento de leis modernizadas na realidade do avanço da pesquisa genética, buscaremos um futuro melhor. Nestes momentos Ricardo Bentrani sempre será lembrado".

O médico, que era fascinado por biologia molecular, também estudou os príons, proteínas que causam o mal da vaca louca, mas que dentro da normalidade são vitais para o bom funcionamento do cérebro.

Ricardo Brentani era diretor-presidente do Conselho Técnico-Administrativo da Fapesp e da Fundação Antônio Prudente. Ele também foi presidente da filial brasileira do Instituto Ludwig de Pesquisa sobre o Câncer.