Notícia

ABC - Academia Brasileira de Ciências

Morre o Acadêmico Alejandro Szanto de Toledo

Publicado em 23 fevereiro 2015

O físico Alejandro Szanto de Toledo, membro titular da Academia Brasileira de Ciências, do Conselho Superior da Fapesp e professor titular do Instituto de Física da Universidade de São Paulo (Ifusp), morreu no sábado (21/02), em São Paulo.

Nascido em Tanger, Marrocos, em 9 de julho de 1945, Toledo graduou-se em Física pela USP (1967), universidade que também lhe conferiu os títulos de mestre e doutor.

Era professor titular do Ifusp desde 1989 e membro titular da Academia Paulista de Ciências desde 1996.

Em 2013 passou a integrar o Conselho Superior da Fapesp. Foi membro do Conselho Deliberativo do CNPq de 1996 a 2001 e coordenador do projeto de construção do Acelerador Linear Supercondutor do Ifusp.

Iniciou suas atividades de pesquisa em 1964, como bolsista do Laboratório Van de Graaf, do então Departamento de Física da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da USP.

Durante o programa de doutoramento, Toledo esteve intensamente engajado na implantação do Laboratório Pelletron. Foi o primeiro doutor formado com o novo acelerador, tendo participado ativamente da consolidação instrumental do projeto.

Fez pós-doutorado no Max-Planck Institut für Kernphysik, na Alemanha, entre 1977 e 1978, quando iniciou seus trabalhos em reações nucleares induzidas por íons pesados e desenvolveu técnicas experimentais para o estudo da espectroscopia nuclear de estados com alto spin em núcleos leves.

De volta ao Brasil, desenvolveu estudos experimentais no Laboratório Pelletron, implantando uma nova linha de pesquisa sobre a fusão de núcleos pesados-leves.

Manteve colaborações internacionais com o Nuclear Structure Research Laboratory, com o Argonne National Laboratory, a Michigan State University, nos Estados Unidos, e com o Centre de Recherches Nucléaires, na França (1995), entre outros, em problemas diversos na área de reações nucleares induzidas por íons pesados. O tema central das colaborações se caracterizou como o estudo da dinâmica envolvido na colisão de íons pesados leves, destacando processos altamente dissipativos.

O Acadêmico coordenava o Projeto Temático "Física nuclear de altas energias no RHIC e LHC", apoiado pela Fapesp. Publicou mais de 320 artigos científicos, que foram citados mais de 14 mil vezes.

(Adaptado de Fapesp Notícias, 22/02/2015)