Notícia

Head Topics (Reino Unido)

Morre João Steiner, astrofísico e professor da USP - Ciência

Publicado em 11 setembro 2020

Aos 70 anos, ele foi vítima de um infarto; 'João Steiner fez parte de uma geração que deu relevância e visibilidade à astronomia brasileira', diz Marco Antonio Zago, presidente da Fapesp

US$ 40 milhões no megatelescópio por meio de um projeto que era coordenado por Steiner. O investimento equivale a cerca de 4% do custo total estimado e garantirá 4% do tempo de operação do GMT para trabalhos realizados por pesquisadores de São Paulo, além de assento no conselho diretor do consórcio.

Museu de Paris proíbe entrada de mulher por causa de decote de vestido Bolsonaro é reprovado por 56% da população, diz pesquisa Arroz mais caro já motivou revoltas, causou mortes e derrubou líderes pelo mundo

“João trabalhou arduamente para colocar o Brasil entre os líderes da comunidade internacional em astronomia. Ele foi a principal figura atrás da nossa participação no SOAR, Gemini e no GMT. Esta é uma perda irreparável para a astronomia brasileira e internacional”, afirmou

Claudia Lucia Mendes de Oliveira, pesquisadora do IAG que integra aCoordenação Adjunta de Ciências Exatas e Engenhariasda Fapesp.“João foi um grande impulsionador da boa ciência no Brasil. Produziu trabalhos enormemente reconhecidos mundialmente e foi sempre incansável para identificar e criar oportunidades para o desenvolvimento da pesquisa, especialmente em astrofísica. Perda irreparável”, disse

Carlos Henrique de Brito Cruz, que esteve à frente da Diretoria Científica da Fapesp de 2005 a abril deste ano.O campo atual de pesquisa de Steiner era em núcleos ativos de galáxias. Em um estudo recente, o pesquisador e colaboradores propuseram um mecanismo universal para a ejeção de matéria pelos

buracos negros.“João desempenhou um papel importante para aproximação do IAG da sociedade. Ele sempre teve um interesse muito grande na divulgação da ciência e na formação de professores de escolas de ensino médio e iniciou um curso com essa finalidade, que teve grande sucesso. Um percentual dos alunos ingressantes na graduação em Astronomia do IAG diz ter se interessado por essa área porque tiveram professor que fez o curso ministrado pelo Steiner”, disse Pedro Leite da Silva, diretor do IAG-USP.“