Notícia

Secretaria de Ensino Superior (SP)

Morre Imre Simon, professor da USP, um dos criadores do Tidia

Publicado em 14 agosto 2009

Simon foi um dos idealizadores da plataforma Tidia, financiada pela FAPESP e usada pela Univesp.

Imre Simon, professor aposentado do Instituto de Matemática e Estatística (IME), da Universidade de São Paulo (USP), morreu durante a noite da última quarta-feira (12), vítima de câncer. A doença foi diagnosticada em agosto do ano passado. Desde então, o professor se mantinha em atividade, dentro das limitações impostas pela doença e o tratamento. Ele foi um dos pioneiros e um dos mais importantes líderes na área de ciência da computação no país, com enorme contribuição científica.

Era membro da Academia Brasileira de Ciências (ABC) e foi um dos idealizadores do Programa Tecnologia da Informação no Desenvolvimento da Internet Avançada (Tidia) da Fundação para de Amparo à Pesquisa no Estado de São Paulo (FAPESP), que reúne cerca de 40 grupos de pesquisa no Estado de São Paulo. O TIDIA se subdivide em três subprojetos, um dos quais o Tidia-Ae (aprendizagem eletrônica), que integra um conjunto de ferramentas integradas e independentes em relação a outras plataformas operacionais. Desde a sua criação, o Programa Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp) optou pelo uso do Tidia-Ae como plataforma de aprendizagem

"O professor Imre deu insubstituível contribuição para o desenvolvimento científico no Brasil. Sua participação foi fundamental no estabelecimento da ciência da computação. Ele sempre colaborou intensamente com a Fapesp e suas ideias moldaram programas da Fundação. Sentiremos sua falta", disse à Agência Fapesp, Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da Fundação.

Além de suas atividades científicas, Simon ocupou vários cargos administrativos, tendo sido, entre outros, presidente da comissão central sobre informática da USP, membro da comissão de coordenação do Programa Tidia e presidente da Sociedade Brasileira de Matemática, além de ter recebido inúmeros prêmios e distinções.

Em 1979, recebeu o Prêmio Jabuti de Ciências Exatas e, em 1989, foi premiado pela Union des Assurances de Paris (UAP), na França. Em 1996 foi honrado com a Grã-Cruz da Ordem Nacional do Mérito Científico, na seção de Ciências. Em 1980 tornou-se membro da Academia de Ciências do Estado de São Paulo e, em 1981, membro titular da Academia Brasileira de Ciências na área de Ciências Matemáticas.

Com informações da Agência Fapesp e da Agência USP.