Notícia

Tudo Farma

Morre em SP pioneiro no estudo de câncer no país

Publicado em 30 novembro 2011

Fonte: O Estado de S.Paulo

Morreu ontem, em São Paulo, vítima de enfarto, o médico e cientista Ricardo Renzo Brentani, diretor-presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), presidente da Fundação Antônio Prudente (que mantém o Hospital A.C. Camargo) e coordenador do Centro Antonio Prudente para Pesquisa e Tratamento do Câncer. O velório de Brentani, que tinha 74 anos, será no Anfiteatro do Hospital A.C. Camargo, entrada pela Rua Tamandaré, 766, a partir das 7h.

Nascido em Trieste, Itália, Brentani graduou-se pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) em 1962. Doutorou-se em 1966 pelo Departamento de Química Fisiológica e Físico-química da FMUSP. Brentani foi um percursor da pesquisa de câncer no País. Foi o primeiro professor titular da disciplina de Oncologia em uma universidade brasileira - na própria Faculdade de Medicina da USP - , e também idealizou e implementou o primeiro curso de pós-graduação em um hospital privado brasileiro, o Hospital do Câncer A.C. Camargo, instituição de referência em pesquisa, ensino e assistência oncológica.

"Ele deu início à carreira de oncologia na época em que o conceito era muito novo e nem sempre aceito na comunidade médica e universitária. Seus esforços tornaram possível a grande capacidade instalada que temos hoje na área e foi o embrião de tudo o que estamos vendo na USP em relação à pesquisa sobre câncer", disse Paulo Hoff, diretor-geral do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp), diretor do Centro de Oncologia do Hospital Sírio-Libanês e professor de Oncologia na FMUSP.

Brentani atuava principalmente com estudos relacionados ao papel do nucléolo no processamento de mRNA, à caracterização de mRNAs de colágenos e à adesão celular e metástase.

"Nas décadas de 1960 e 1970, ele introduziu pesquisas pioneiras na área hoje conhecida como biologia molecular, mas que ainda não tinha esse nome. Os estudos dessa época foram precursores da biotecnologia", diz Roger Chammas, professor da FMUSP.

Brentani também foi membro da Academia Brasileira de Ciências (ABC) e recebeu diversos prêmios e condecorações, como a Ordem Nacional do Mérito Científico (Grã-Cruz), o Prêmio Costa Junior, da Academia Nacional de Medicina, e o Prêmio Ciência e Cultura da Fundação Conrado Wessel, entre outros.