Notícia

CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Morre em São Paulo diretor-presidente da Fapesp

Publicado em 30 novembro 2011

O diretor-presidente da Fundação Estadual de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), Ricardo Renzo Brentani, morreu nesta terça-feira (29) aos 74 anos, vítima de infarto. Seu corpo foi velado hoje (30), no anfiteatro do Hospital A.C. Camargo, em São Paulo. Brentani, considerado um dos mais importantes cientistas do país na área de pesquisas oncológicas, publicou mais de 300 trabalhos em periódicos importantes, como Nature e Science.

Ele era reconhecido internacionalmente por sua pesquisa do câncer. Atuava principalmente com estudos relacionados ao papel do nucléolo no processamento de mRNA, à caracterização de mRNAs de colágenos e à adesão celular e metástase. Trabalhando com três linhas de pesquisa: Adesão celular; Biologia celular: proliferação, diferenciação e metástase; e Biologia molecular das macromoléculas e transdução de sinal.

Graduado e doutorado em Medicina pela Universidade de São Paulo (USP), atualmente era professor emérito da Faculdade de Medicina da USP, sendo o primeiro professor titular da disciplina de Oncologia em uma universidade brasileira. Membro da Academia Brasileira de Ciências (ABC), Brentani recebeu diversos prêmios e condecorações, entre elas, a Ordem Nacional do Mérito Científico (Grã-Cruz), o Prêmio Costa Júnior, da Academia Nacional de Medicina, e o Prêmio Ciência e Cultura da Fundação Conrado Wessel.

Em agosto último, recebeu o Prêmio Octavio Frias de Oliveira, na categoria Personalidade de Destaque. Promovido pelo Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp), em parceria com o Grupo Folha, o prêmio objetiva reconhecer a produção de conhecimento na prevenção e combate ao câncer. No mês passado, participou da Fapesp Week, em Washington (EUA), onde proferiu palestra sobre o tema Molecular genomics and genetics in the management of cancer.

Nas décadas de 1960 e 1970, introduziu pesquisas pioneiras na área de biologia molecular. Os estudos dessa época foram precursores da biotecnologia. No início dos anos 1980, Brentani foi indicado como a pessoa ideal para liderar a filial paulista do Instituto Ludwig de Pesquisa sobre o Câncer. A instituição se tornaria logo um centro de referência nacional e internacional de estudos na área de oncologia e um grande celeiro de lideranças científicas. Ele também idealizou e implementou o primeiro curso de pós-graduação em um hospital privado, o Hospital do Câncer A.C. Camargo, instituição de referência em pesquisa, ensino e assistência oncológica. (Com informações da Fapesp)

Assessoria de Comunicação Social do CNPq

comunicacao@cnpq.br

(61) 3211-9414