Notícia

Folha de S. Paulo

Monumento a Ramos de Azevedo: Do Concurso ao Exílio

Publicado em 09 outubro 1999

Na década de 1930 o Rio de Janeiro assistiu à demolição da antiga Academia Imperial de Belas Artes. Fato consumado, o Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional conseguiu que o pórtico do edifício de Grandjean de Montigny fosse transladado para o Jardim Botânico. De um lado, a cidade ganhou uma avenida moderna e perdeu o edifício que não parecia mais ter relevância. De outro, os grupos que comeriam valor á antiga escola, se já não eram hegemônicos, tampouco eram invisíveis e, na impossibilidade de se salvar o [...]

Conteúdo na íntegra disponível para assinantes do veículo.