Notícia

Conexão Na Cidade

Molécula derivada de corante ftalocianina capaz de inativar o coronavírus

Publicado em 01 novembro 2021

Por Fonte: Governo do Estado de São Paulo

Elton Alisson | Agência FAPESP – Pesquisadores do Instituto de Química da Universidade de São Paulo (IQ-USP), em parceria com a empresa Golden Technology, conseguiram produzir em escala uma molécula derivada do corante ftalocianina capaz de inativar o SARS-CoV-2.

Testes feitos no Instituto de Ciências Biomédicas (ICB-USP) e publicados na revista Scientific Reports demonstraram que o composto reduziu em 99,96% a carga viral em culturas de células sem causar alterações metabólicas (efeitos citotóxicos).

Já um ensaio clínico conduzido por pesquisadores da Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB-USP) revelou que o uso intensivo de um enxaguante bucal contendo o composto antiviral por pacientes internados em um hospital público da cidade, em estágio inicial da infecção, contribuiu para diminuir os sintomas e o tempo de internação.

Os estudos tiveram apoio da FAPESP.

“A molécula é capaz de se ligar ao oxigênio presente no ar. Quando ocorre essa ligação, o oxigênio torna-se mais ativo, causando danos oxidativos no vírus”, diz à Agência FAPESP Koiti Araki, professor do IQ-USP e coordenador do projeto.

A ftalocianina de ferro possui grupos aniônicos – grupos iônicos com carga negativa – que ativam o íon de ferro situado no centro da molécula para que consiga se ligar ao oxigênio presente no ar e torná-lo reativo. Dessa forma, o oxigênio passa a se comportar como o ozônio ou o peróxido de hidrogênio, causando danos oxidativos em microrganismos como vírus, fungos e bactérias.

Em parceria com pesquisadores da empresa Golden Technology, sediada em São José dos Campos, Araki conseguiu nos últimos anos desenvolver um processo para produzir a molécula em escala.

“Esse ativo é difícil de produzir e os rendimentos eram muito baixos. No laboratório, conseguimos desenvolver um processo que diminuiu em mais de 90% a quantidade de resíduos e reagentes, bem como o tempo de produção”, afirma Araki.

Aplicações anti-COVID-19

A ideia inicial era aplicar a molécula para eliminar odores desagradáveis produzidos por microrganismos em tecidos e para a remoção de germes em diversos tipos de ambientes.

Com o surgimento da COVID-19, os pesquisadores tiveram a iniciativa de avaliar se o composto seria capaz de causar danos oxidativos no SARS-CoV-2 e inativá-lo. Para isso, procuraram o professor do ICB-USP Edison Luiz Durigon, que coordena um laboratório com nível 3 de biossegurança (NB3), onde é possível manipular patógenos como o SARS-CoV-2.

O grupo de Durigon foi o primeiro no Brasil a isolar e cultivar em laboratório o novo coronavírus, a partir de amostras coletadas dos primeiros pacientes brasileiros diagnosticados com a doença no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo (leia mais em https://agencia.fapesp.br/32692/). Após esse feito, os pesquisadores passaram a ser procurados por startups e empresas interessadas em testar a eficácia de produtos voltados ao combate da COVID-19, como testes de diagnósticos e nanopartículas de prata com ação virucida aplicadas na superfície de diversos tipos de materiais, produzidas pela Nanox – uma empresa apoiada pelo Programa Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE), da FAPESP.

“Já testamos no laboratório vários antivirais que funcionaram contra o SARS-CoV-2, mas nenhum em uma concentração tão baixa quanto essa molécula”, compara Durigon.

“O composto tem ação imediata contra o vírus. As reações oxidativas provocadas por ele destroem o envoltório lipoproteico do novo coronavírus”, relata o professor do ICB-USP.

Após a ação da molécula ser comprovada, a Golden Technology desenvolveu e lançou em julho de 2020 uma máscara cirúrgica antiviral recoberta com a substância.

De acordo com os pesquisadores, o efeito antiviral e a eficiência de filtração bacteriana (BFE) do material duram 12 horas. Dessa forma, é possível usar a máscara antiviral durante três horas em um dia e continuar usando nos dias seguintes até completar 12 horas de uso, por exemplo.

“Na máscara e em tecidos a ação antiviral da molécula dura muito tempo. Os ensaios que fizemos mostraram que em até 12 horas de uso o composto continua ativo nesses materiais”, diz Durigon.

Produtos de higiene bucal

Antes da pandemia, os pesquisadores da Golden Technology também tinham começado a desenvolver, em parceria com a empresa Trials, uma linha de produtos de higiene bucal contendo a molécula, como pasta de dente, enxaguatório, spray e gel dental.

“A ideia era empregar as reações químicas de oxidação promovidas pela molécula para auxiliar na reparação de tecidos moles da boca, no tratamento de gengivite e na eliminação do mau hálito”, explica Fabiano Vieira Vilhena, proprietário da Trials.

Com o surgimento da pandemia de COVID-19, o foco dos ensaios clínicos mudou. Uma vez que o grupo do professor Durigon já tinha comprovado em culturas de células que a molécula é capaz de inativar o SARS-CoV-2, os pesquisadores decidiram avaliar se o enxaguatório bucal contendo o composto era capaz de diminuir a carga do vírus na saliva de pacientes infectados.

Os resultados de um dos primeiros estudos in vitro, conduzidos por pesquisadores da FOB-USP em parceria com colegas da Universidade Estadual Paulista (Unesp), campus de Botucatu, mostraram que o antisséptico com o derivado de ftalocianina reduziu em 90% a carga do SARS-CoV-2 em amostras de saliva.

O trabalho foi publicado na revista Clinical, Cosmetic and Investigational Dentistry.

“Por meio desse estudo, conseguimos comprovar que a molécula é capaz de inativar o vírus na saliva”, diz Paulo Sérgio da Silva Santos, professor da FOB-USP e coordenador dos ensaios clínicos.

Com base em relatos na literatura de que a infecção pelo SARS-CoV-2 começa com a entrada e replicação do vírus na mucosa das regiões bucal e nasal, os pesquisadores tiveram a ideia de avaliar se a diminuição da carga viral na boca e na garganta por meio do bochecho e gargarejo do antisséptico bucal contendo o composto, na fase inicial da infecção, poderia contribuir para melhorar a resposta clínica dos pacientes com COVID-19.

“O contato e a colonização da mucosa bucal e nasal pelo SARS-CoV-2 ocorrem bem na fase inicial da doença. Depois de sete dias reduz muito a quantidade de vírus na boca. Portanto, a janela de oportunidade de efetividade do enxaguatório é no começo da infecção”, diz Santos.

A fim de avaliar essa hipótese, foi realizado um estudo clínico com 41 pacientes diagnosticados com COVID-19 por RT-PCR, com quadros leve ou moderado, internados no Hospital Estadual de Bauru em maio de 2020.

As análises indicaram que o tempo médio de internação do grupo de 20 pacientes que fizeram gargarejo e enxague com o antisséptico à base da nova molécula, cinco vezes ao dia e por um minuto até a alta hospitalar, foi significativamente menor em comparação com os que fizeram o mesmo procedimento usando um enxaguatório sem o ativo.

Os pacientes que usaram o enxaguatório contendo a molécula permaneceram, em média, quatro dias internados, contra sete dias dos que usaram o antisséptico sem a molécula. Além disso, o procedimento contribuiu para reduzir a gravidade dos sintomas.

Nenhum dos pacientes que fizeram o uso do enxaguatório foi para a UTI ou morreu. Em média, eles eram 15 anos mais velhos em comparação com os que não usaram o antisséptico com o ativo.

“Todos os pacientes receberam o mesmo tratamento hospitalar de cuidados padrão para COVID-19 preconizados pela OMS [Organização Mundial da Saúde], com a diferença de que o grupo de 20 pacientes fez uso do enxaguatório contendo a molécula”, diz Santos.

“Conseguimos verificar estatisticamente que o único fator que influenciou a diminuição do tempo de internação foi o uso do enxaguatório contendo a molécula”, afirma.

Tratamento adjuvante

Os pesquisadores pretendem fazer outros estudos para avaliar o tempo de ação (substantividade) do enxaguatório contendo a molécula na mucosa bucal.

A substantividade dos compostos usados nos antissépticos convencionais hoje, como a clorexidina – que não inativa o SARS-CoV-2 –, varia de oito a 12 horas. No caso da ftalocianina de ferro, ensaios preliminares indicaram que a molécula adere à mucosa bucal e tem efeito virucida por até duas horas e ação residual na orofaringe.

“Como a molécula tem o efeito de uma água oxigenada, mas que é produzida localmente em pequenas quantidades o tempo todo, a toxicidade é insignificante”, afirma Araki.

A empresa que irá comercializar o enxaguatório e outros produtos de higiene bucal contendo a molécula está readequando as fórmulas para obter os registros na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Caso os produtos sejam aprovados, a ideia é que possam ser usados como tratamento adjuvante, reduzindo a carga viral na fase inicial da infecção, enquanto o sistema imune se prepara para produzir anticorpos e combater o vírus.

“Com a diminuição da carga viral, a infecção será mais lenta, o que dará tempo para o sistema imune combatê-la. Quando começar a ter uma quantidade de vírus maior em outros tecidos que o enxaguatório não atinge, o sistema imune já estará ativo para combatê-los”, explica Durigon.

O artigo Virucidal activity of the antiseptic mouthwash and dental gel containing anionic phthalocyanine derivative: in vitro study pode ser lido na revista Clinical, Cosmetic and Investigational Dentistry em: www.dovepress.com/virucidal-activity-of-the-antiseptic-mouthwash-and-dental-gel-containi-peer-reviewed-fulltext-article-CCIDE.

E o artigo Beneficial effects of a mouthwash containing an antiviral phthalocyanine derivative on the length of hospital stay for COVID-19: randomised trial pode ser lido na revista Scientific Reports em: www.nature.com/articles/s41598-021-99013-5#citeas.

Este texto foi originalmente publicado por Agência FAPESP de acordo com a licença Creative Commons CC-BY-NC-ND. Leia o original aqui.

Fonte: Governo do Estado de São Paulo

Essa notícia também repercutiu nos veículos:
Jornal Primeira Página EBC Rádios Veja online UOL Portal R7 InforBahia Diário da Saúde Bem Pra Você Oficial Notícia de Limeira Jornal Primeira Página online Dia a Dia Nordeste Bomba Bomba Biblioteca FMUSP Revista Pará Investe São Paulo Capital Entorno Saense Jornal da Ciência online Pfarma São Carlos em Rede Manchete Política Jornal Tabloide online (Cotia, SP) Portal O Guardião A Voz dos Municípios (Laranjeiras, Sergipe) online Metropolitana MS Bom dia Paraiba Lucas em foco Jundiaí Online LabNetwork Garanhuns Notícias 2A+ Cosmética Farmacêutico Márcio Antoniassi Alvo Notícias Informativo Astral Penha News O Repórter Regional online Relato News Mix Vale Jornal A Voz do Povo online (Uberlândia, MG) Jeremoabo.com.br Diário em Foco Portal do Governo do Estado de São Paulo Folha de Valinhos online Portal O Sertão Galileu online Brasil123 Eu, Rio! Portal da Cidade (Registro, SP) Portal A Verdade Circuito de Notícias Ata News Araraquara24horas Benefícios News Verguia Xingu 230 Campos 24 horas Campo Belo em Foco São Bento em Foco Revista Interativa Acontece no RS Pelo Mundo DF Extra News MS Jornal Ponta Grossa Oeste Ao Vivo Oeste 360 Sistema Provincia Relato News GMundo News MSN (Brasil) Poliarquia Poder360 Pauta Brasil CV Agora Professor José Costa Agência de Notícias – Defesa FEDAP - Fundação de Estudos para o Desenvolvimento da Administração Pública Portal de Notícias Virou Manchete Zatum DF Agora São Carlos Agora Giro Notícias Goiás Tudonoticia.org TV ÚNICA O Defensor online Sou Catarinense comVc Portal Rádio Continental FM 96.1 Notícias DF & Entorno Garça em Foco N5 Notícias Portal O Guardião Agora TS Relata Bahia TV Brusque LD - Ligação Direta TaubatéOn MaisAM Panorama Farmacêutico Jornal A Cidade (Ponta Porã, MS) Feedy News Cabreúva Online Gazeta Costa Sul Garanhuns Notícias BSB Digital Giro Goiás MaisAM Hora PR TV Caparaó Beto Ribeiro Repórter Araraquara Agora Portal da Enfermagem Antenados Mirante da Bocaina Folha da Minha Sampa Revista Interativa Campo Belo em Foco Oeste Ao Vivo Novo Cantu Notícias Panorâmica News TV Interbam Oeste 360 Portal Altônia Alagoas Agora online Blog Saúde e Dicas Jeremoabo.com.br Agora ES online Toni Rodrigues Diário D4 Notícias MSN (Brasil) Roraima na Rede MT Diário online Poder no Quadrado Plantão News (MT) Jornal Estação online Cotia 24 horas eCycle São Miguel Agora Minuto Cidade Saúde em Tela Um Só Planeta Transmitindo Diário de Notícias Web Portal RBN