Notícia

O Jornal (Rio Claro) online

Modelos de câncer em animais domésticos são vias para novas terapias em humanos

Publicado em 28 setembro 2012

Promovido pelo Hospital A.C.Camargo, UNESP/Botucatu e Faculdade de Medicina Veterinária da USP/SP, evento discute avanços em oncologia comparada entre 30 de setembro e 6 de outubro em Águas de São Pedro, no interior de São Paulo.  Com fomento da FAPESP, participam 28 cientistas do Brasil e exterior e uma plateia seleta composta por 100 bolsistas - metade de fora do país - em níveis de mestrado, doutorado e pós-doutorado. Dentre os avanços, cientistas identificam similaridade morfológica de tumores mistos de mama em cadelas com câncer de glândulas salivares em humanos

A partir de 30 de setembro, Águas de São Pedro será a capital mundial da oncologia comparada, um ramo da pesquisa sobre câncer que busca melhor entender como ocorre o desenvolvimento de neoplasias em outros seres vivos e, desta forma, ampliar a abordagem em humanos.  A cidade, localizada no interior de São Paulo, receberá até 6 de outubro o São Paulo Advanced School of Comparative Oncology, com organização do Hospital A.C.Camargo, UNESP/Botucatu e USP.

Voltado para estudantes de doutorado, pós-doutorado e jovens pesquisadores nas áreas de oncologia humana e veterinária, um dos objetivos do evento, realizado no âmbito da Escola São Paulo de Ciência Avançada (ESPCA), modalidade de apoio da FAPESP, é estimular o avanço do conhecimento da área de oncologia comparada no Brasil. Ao todo, foram selecionados 100 estudantes, sendo 50 brasileiros e 50 do exterior. Os participantes receberão financiamento para passagens aéreas, transporte terrestre, alojamento, refeições e material de curso.

Além disso, terão a oportunidade de interagir com alguns dos maiores especialistas do Brasil e do exterior em oncologia comparada que atuam em centros de pesquisa do Brasil e de outros oito países, com destaque para os Estados Unidos (M.D.Anderson Cancer Center, University of Wisconsin, Michigan State University e University of Maryland), França (Institut de Recherche en Cancérologie de Montpellier e International Agency for Research on Cancer); Canadá (Ontario Cancer Institute, University of Manitoba e University of Montreal), Reino Unido (University of Edinburgh), Alemanha (University Hospital Schleswig Holstein), Holanda (Utrecht University), Finlândia (Haartman Institute) e Japão (National Cancer Center Research Institute).

Dentre as instituições brasileiras, participam o Hospital de Câncer de Barretos, Faculdade de Veterinária da Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Medicina da UNICAMP/Campinas, Faculdade de Medicina da UNESP-Botucatu, Faculdade de Medicina da USP, Faculdade de Veterinária da USP, Santa Casa de Misericórida, Hospital A.C.Camargo, Universidade Federal do Rio Grande do Norte e Instituto de Biociências da UNESP/São José do Rio Preto.

Ao todo serão 28 palestrantes, que pretendem destacar o papel das linhas de pesquisa na área para o desenvolvimento de novas estratégias terapêuticas do câncer. A programação científica - disponível em - http://www.comparativeoncologyespca.org/ - reúne temas como sequenciamento genômico em larga escala, imunomodulação e câncer, fatores de risco para o câncer esporádico e familial, epigenética, RNAs não-codificadores, células-tronco, inflamação, proteômica e bioinformática. "Haverá apresentações sobre diferentes tipos de tumores, como cânceres hematológicos, carcinomas de mama, cânceres do sistema genital masculino, cânceres colorretais e de cabeça e pescoço", destaca a coordenadora geral do evento, diretora do Laboratório de Citogenética e Genética Molecular do Hospital A.C.Camargo e Professora da Faculdade de Medicina da UNESP/Botucatu. 

De acordo com Sílvia Rogatto, os tumores espontâneos em cães e gatos domésticos - assim como ocorre em humanos - são influenciados por questões como áreas geográficas específicas, tipos de dieta, impacto neuro-hormonal, fatores ambientais como poluição, além de mecanismos genéticos e epigenéticos semelhantes. "A população de animais de companhia com neoplasias espontâneas possibilita a realização de estudos comparativos com os humanos, dado que os animais têm menor tempo de vida e compartilham do mesmo ambiente do homem", define a bióloga.

Por intermédio do evento, os organizadores pretendem criar as bases para desenvolver uma rede de estudos colaborativos, com a participação de pesquisadores do país e do exterior e implementar um programa multidisciplinar em oncologia comparada que utilize pequenos animais como modelos de tumores espontâneos para a caracterização de vias gênicas alteradas no câncer, identificação e validação funcional de potenciais alvos terapêuticos. Ao final do evento, serão realizadas visitas técnicas ao Hospital A.C.Camargo, UNESP/ Botucatu e Faculdade de Medicina Veterinária de Universidade de São Paulo (USP), que organizam o evento.

Câncer de mama em cadelas e de glândulas salivares em humanos - Os estudos em oncologia comparada trouxeram importantes descobertas científicas. Uma das principais traz a assinatura do Laboratório de Patologia Comparada do ICB, da Universidade Federal de Minas Gerais, onde foram estudadas 1,5 mil lesões de mama em cadelas e observou-se alta incidência dos tumores mistos benignos, os quais apesar de serem benignos podem progredir para câncer. Nestas lesões, 49% das caracterizadas como benignas eram tumores mistos, enquanto que entre os casos que progrediram para câncer os tumores mistos representaram 42% do total. Na espécie humana, os tumores mistos são lesões incomuns na mama, no entanto, são tumores frequentes nas glândulas salivares, onde são denominados adenomas pleomórficos.

De acordo com um dos líderes do estudo, o veterinário e professor titular da UFMG, Geovanni Dantas Cassali, para se confirmar esta hipótese estão sendo verificadas as alterações na expressão das oncoproteínas HER2, EGFR e TP53 e a perda dos receptores hormonais estrógeno e progesterona, sabidamente associadas com a transformação maligna dos carcinomas em tumores mistos da mama de cadelas.  

Cassali, que integra o Comitê Científico do São Paulo Advanced School of Comparative Oncology destaca que por poderem se tornar malignos, os tumores mistos consistem em interessante material de pesquisa em estudos visando o entendimento da progressão tumoral. "A determinação dos eventos moleculares envolvidos na progressão maligna contribui de maneira significativa para o entendimento do comportamento biológico dessas neoplasias, para a escolha de opções terapêuticas e alvos moleculares", acrescenta.

Uma medida fundamental, segundo Cassali, é realizar a castração das cadelas antes do primeiro cio, onde os riscos de desenvolver a doença são quase nulos. Do primeiro ao terceiro cio a possibilidade também reduz, consideravelmente. "A castração após o terceiro cio, segundo os dados que temos, não gera diminuição do risco de levar ao surgimento do câncer de mama".

Oncologia Comparada sem Limites - Além da mama, qualquer órgão do animal pode ser afetado pelo câncer. Os relatos mais comuns são de tumores hematológicos (principalmente os linfomas), do sistema genital masculino, colorretais, de cabeça e pescoço e o câncer de pele. "Esta área da ciência ainda é incipiente no país. Podemos avançar muito nas pesquisas e este evento, de magnitude global, visa trazer novos horizontes para o entendimento do desenvolvimento de tumores em animais", destaca Sílvia Rogatto.

Geovanni Cassali destaca a diversidade de opções de estudos, tanto nos animais domésticos quanto nos selvagens que vivem em zoológico. Além dos já citados tumores de mama em cadelas, há muitos relatos de tumores de pênis e próstata em cães, equinos e bovinos.  Também são frequentes os linfomas em cães, gatos, bovinos e equinos. E não para por aí, conforme explica o especialista. "Não há limites para os estudos em Oncologia Comparada. Há relatos de tumores em onças, lobos-guará, hipopótamos, dentre outros", exemplifica.

Serviço

São Paulo Advanced School of Comparative Oncology

Realização: Hospital A.C.Camargo, UNESP/Botucatu e Veterinária da USP, com fomento da FAPESP

Data: 30 de setembro a 6 de outubro

Local: Grande Hotel São Pedro

Endereço: Parque Doutor Otávio de Moura Andrade, s/n, Àguas de São Pedro - SP

Informações: http://www.comparativeoncologyespca.org/

Cobertura de imprensa: moura@comuniques.srv.br

Sobre o Hospital A.C.Camargo - Instituição privada sem fins lucrativos criada em 1953 por Antônio e Carmen Prudente, o Hospital A.C.Camargo é um dos maiores centros mundiais de tratamento, ensino e pesquisa em câncer. De forma integrada e multidisciplinar, atua na prevenção, diagnóstico e tratamento ambulatorial e cirúrgico dos mais de 800 tipos de câncer identificados pela Medicina, divididos em mais de 40 especialidades.

A cada ano atende cerca de 15 mil novos pacientes de diversas partes do país e exterior, totalizando mais de um milhão de procedimentos (consultas, exames laboratoriais e por imagem, internações, cirurgias,  quimioterapia e radioterapia, entre outros). Seu corpo clínico é composto por uma equipe fechada de mais de 500 especialistas, a maior parte com mestrado e doutorado. A dedicação e interação destes profissionais em atividades interdisciplinares resulta em um tratamento com melhores índices de sucesso, só comparáveis aos observados nos maiores centros oncológicos do mundo.

Na área de ensino, o A.C.Camargo criou a 1ª Residência em Oncologia do país, em 1953, tendo formado em 2010 o seu milésimo residente. É também responsável pela formação de um em cada três oncologistas em atividade no Brasil. Sua pós-graduação, criada em 1997, é a única em um hospital privado reconhecida pelo Ministério da Educação e foi avaliada com nota máxima durante toda essa década pela CAPES, tornando-se assim, entre escolas públicas e privadas, a melhor do país em Oncologia e uma das duas melhores em Medicina. Tem a maior produção científica da área, com mais de mil trabalhos publicados na última década nas principais revistas internacionais de alto impacto. Centralizou em 2000 o Genoma do Câncer no Brasil, financiado pela FAPESP e Instituto Ludwig.

Em 2012, o Hospital A.C.Camargo conquistou a Certificação Internacional pelo Canadian Council for Health Services Accreditation (CCHSA).  No mesmo ano também conquistou alguns reconhecimento importantes: foi apontado pela edição 500 Melhores Empresas da revista Istoé Dinheiro como uma das melhores em Saúde pelo quarto ano consecutivo. Pelo Anuário Valor 1000 figurou como a 1ª. no ranking de serviços médicos e  foi eleito pela quarta vez uma das melhores empresas para Você trabalhar do Guia Você S/A Exame