Notícia

Vale em Ação

Minuto Saúde Mental #13: Síndrome de burnout resulta de estresse crônico no trabalho que não foi adequadamente gerenciado

Publicado em 12 maio 2021

Se você trabalha, você muito provavelmente já teve a sensação de que não aguentava mais fazer aquilo por um minuto sequer, de que seu trabalho não servia para nada ou de que não tinha energia ou paciência para lidar com qualquer exigência extra da vida. Esses são sentimentos comuns que tendem a aparecer de tempos em tempos e que nos acostumamos a chamar pelo nome geral de estresse.

No meio da década de 1970, um pesquisador que trabalhava com outros profissionais de saúde agrupou alguns sintomas que fariam parte do que ele chamou de síndrome de burnout, ou, traduzindo, síndrome do esgotamento profissional, que é o tema deste episódio do Minuto Saúde Mental .

Segundo a Organização Mundial da Saúde, o burnout é “uma síndrome que resulta de estresse crônico no trabalho que não foi adequadamente gerenciado” e que se caracteriza por três dimensões: (1) sensação de total falta de energia ou exaustão; (2) distanciamento mental, sentimentos negativos e ceticismo com relação ao trabalho; e (3) queda de eficácia profissional.

As pessoas que sofrem da síndrome de burnout, segundo o professor João Paulo Machado de Sousa, tendem ainda a experimentar sintomas como fadiga, perda de interesse por atividades que antes geravam prazer, alterações no sono, irritabilidade e aumento no consumo de álcool e outras substâncias. Como se vê, não é à toa que a síndrome é facilmente confundida com a depressão.

Apesar de repetidas descrições e do número crescente de estudos realizados sobre a síndrome de burnout, é importante saber que este não é um diagnóstico médico propriamente dito. Embora seja mencionado nos manuais diagnósticos da OMS e da Associação Psiquiátrica Americana, “o Burnout é incluído na categoria de fenômenos ocupacionais que merecem atenção médica ou de transtornos de ajustamento”.

De qualquer forma, diz o professor, o problema já é reconhecido há muito tempo pelos profissionais de saúde e pode ser detectado durante uma consulta ou através de questionários e escalas. “O tratamento recomendado envolve psicoterapia e medicamentos, mas neste caso o exercício físico parece ser um excelente aliado para o restabelecimento do paciente.”

O Minuto Saúde Mental tem apresentação do professor João Paulo Machado de Sousa, produção dos professores Sousa e Jaime Hallak, com apoio do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Medicina Translacional, iniciativa do CNPq e da Fapesp.