Notícia

CAU/BR - Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil

Ministério da Educação da França homenageia conselheira federal Nadia Somekh

Publicado em 08 agosto 2018

Por CAU/BR

A arquiteta e urbanista Nadia Somekh, conselheira federal do CAU/BR pelo Estado de São Paulo, recebe nessa quinta-feira, 9 de agosto, a medalha de “Chevalier dans l’Ordre des Palmes Acadêmiques” concedida pelo Ministro da Educação Nacional, do Ensino Superior e da Pesquisa da França. Atualmente, no CAU/BR, Nadia Somekh é coordenadora adjunta da Comissão de Relações Internacionais, e no IAB é titular da Vice-Presidência Extraordinária para o Congresso UIA2020RIO.

A cerimônia, conduzida pelo Cônsul Geral da França, Brieuc Pont, se realizará na capital paulista, na Aliança Francesa da Faria Lima. Criada em 1808, a comenda “Palmes Acadêmiques” foi, inicialmente, um título honorífico reservado às universidades e liceus franceses. Desde 1866 a distinção honorífica é concedida a membros da comunidade educacional nacional e estrangeira que tenham contribuído, de forma ativa, para a expansão da cultura francesa no mundo.

Emocionada e orgulhosa, Nadia Somekh conta que os laços de sua família com a França são antigos. Seu bisavô fundou a Aliança Francesa Israelita no Oriente Médio, seus avós foram criados em Paris, seus pais nasceram no Cairo (Egito) e foram criados em escolas francesas. A arquiteta e urbanista também nasceu no Cairo e veio pequena para o Brasil, em 1956. “Minha língua materna é o francês e minha língua adotiva é o português”.

Em 1987, a arquiteta ganhou uma bolsa FAPESP para montar seu Projeto de Pesquisa de doutorado com professores franceses: Alain Lipietz, Christian Topalov e Vincent Renard da Revista Etudes Foncières, onde publicou artigo sobre “A Verticalização em São Paulo”, tema de seu mestrado. Nadia Somekh traduziu alguns autores do francês para o português nos anos 1980/90 para a Revista Espaço&debate, que tinha em seu Conselho Editorial Fernand Braudel, Pierre Bourdieu e Alian Lipietz. Em 2010, ela traduziu o livro “Os Novos princípios do Urbanismo”, de François Ascher, publicado pela Editora Romano/Guerra. Entre 2006 e 2012, a arquiteta e urbanista fez seu pós-doutorado na EHESS – Ecole de Hautes Études em Sciences Sociales, por recomendação do professor Ignacy Sachs. Foi professora convidada no IUP-Institut d Urbanisme de Paris em 2008 e 2010 e na Universidade de Cergy-Pontoise em 2012.

Nadia Somekh é a responsável, no país, do programa Os Diálogos França- Brasil, criados no IUP em 2010, onde foi realizada a primeira edição. A segunda ocorreu, em 2012, em São Paulo, na Universidade Mackenzie, sob sua organização. A terceira ocorreu, em 2014, na Universidade de Lille, organizada por Didier Paris; a quarta ocorreu, em 2016, em Salvador , organizada por Ana Fernandes da UFBA. A quinta edição ocorreu em Tours, de 13 a 16 de junho último, organizada por Jean Paul Carrière. A próxima será em 2020 no IAU-USP de São Carlos. A arquiteta e urbanista sempre participa do comitê cientifico do programa.

Como Diretora do Departamento do Patrimônio Histórico do Município de São Paulo, cargo que ocupou de 2013 a 2016, ela criou em 2015 a Jornada do Patrimônio, com o apoio do Consulado da França em SP e a ajuda do Ministério da Cultura da França. A Jornada do Patrimônio em SP virou lei, ocorre no terceiro fim de semana do mês de agosto e já está na sua quarta edição. Com Paris La Villette e o Laboratório LIEU, Nadia Somekh participou em setembro de 2017 do Seminário “Patromonialisation e Precarité”. A professora Alessia de Biase, com quem dialogou e escreveu dois trabalhos para os Diálogos França-Brasil, esteve em dezembro de 2017 conhecendo o bairro do Bexiga, em São Paulo, e deu a palestra “A cidade como Herança” na FAU Mackenzie.

Símbolo do “Chevalier dans l’Ordre des Palmes Acadêmiques”

Em 2008 como diretora da FAU Mackenzie, a arquiteta e urbanista assinou convênio de cooperação com a escola de arquitetura Paris Val-de-Seine, que beneficiou desde então vários alunos. Em fevereiro de 2019 será realizada uma oficina de projeto, sobre o bairro de Campos Elíseos, em São Paulo, com a professora Sabrine Bresson, com 30 alunos das duas instituições.

Nadia Someck é a idealizadora do Seminário Internacional “Gestão Inovadora de Bairros Históricos – Fábrica de Restauro” que acontecerá em São Paulo nos dias 10 e 11 de setembro. A iniciativa é do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil, em parceria com o CAU/SP e o Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismos da FAU-Mackenzie, com apoio do IAB/SP e da CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, do MEC). O evento deve proporcionar a instalação de uma Fábrica de Restauro, sob responsabilidade de Nadia Somekh, experimentalmente formulada para o bairro tombado do Bexiga. A ideia é uma mobilização social que permita construir coletivamente a recuperação física e social do bairro, sem perspectivas de gentrificação.

A conselheira federal foi presidente da EMURB e secretária de Desenvolvimento Econômico de Santo André, entre outros cargos públicos. Foi Diretora da FAU Mackenzie 2005 a 2009, tendo coordenado a estruturação de seu programa de Pós-Graduação. Foi Conselheira da UIA ( União Internacional de Arquitetos) entre 2008 e 2017. É autora de “A Cidade Vertical e o Urbanismo Modernizador”, entre outros livros e artigos.