Notícia

Fapemig

Minas Gerais terá banco de dados sobre biodiversidade

Publicado em 08 agosto 2007

Foi lançado nesta quarta-feira, 8 de agosto, o Projeto de Estruturação Biota Minas, que vai realizar o diagnóstico do conhecimento sobre a biodiversidade em Minas Gerais, levantando dados sobre conservação, uso e biotecnologia. A cerimônia de lançamento aconteceu no auditório da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), com a presença de biólogos e pesquisadores da área ambiental, além de representantes de instituições ligadas às áreas de ciência, tecnologia e meio ambiente.

O projeto é coordenado pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes-MG), com parceria da Fundação Biodiversitas e financiamento da FAPEMIG, que destinará R$ 230 mil para sua realização. O trabalho tem como principal objetivo realizar um diagnóstico, mapear o conhecimento nas áreas temáticas vinculadas à conservação e uso da biodiversidade e estruturar uma base de dados para subsidiar a implantação do Biota Minas.

A pesquisa envolve dezenas de coordenadores científicos, divididos entre as suas diversas vertentes. Ela abordará entre as áreas temáticas a diversidade de vertebrados, invertebrados terrestres, organismos aquáticos, além da diversidade botânica, microbiana e genética, bem como questões relacionadas à biotecnologia.  A previsão é que dentro de um ano seja produzido um banco de dados sobre o status do conhecimento e da conservação da biodiversidade no Estado, com indicação das demandas prioritárias para implementação do Programa Biota Minas.

Após a abertura do evento, que contou com a participação do presidente da FAPEMIG, José Geraldo de Freitas Drumond, e do diretor científico da instituição, Mario Neto Borges, a programação prosseguiu com a realização de palestras e debates sobre temas diretamente relacionados à biodiversidade, desenvolvimento sustentável e conservação ambiental. As discussões basearam-se em exemplos de sucesso como o programa Biota Fapesp e a rede Species Link. A Fundação Biodiversitas, envolvida no projeto, também aproveitou a oportunidade para apresentar suas principais metas e metodologias.