Notícia

Jornal do Commercio (PE)

Milhares de livros à espera de leitor

Publicado em 28 maio 2017

Um acervo sem tratamento de pelo menos 15 000 livros doados por pessoas e empresas à Biblioteca Mário de Andrade se acumula em uma sala fechada. As obras não foram catalogadas nem se sabe exatamente a importância de tais exemplares, já que não foram totalmente analisados pela equipe técnica. Por causa do acúmulo – a área que recebe as doações está lotada -, determinou-se a suspensão do recebimento de doações no local.

A pilha de livros tem coleções inteiras doadas por grandes editoras, como Massao Ohno, Saraiva e Cosac & Naify, além do Consulado da França, Biblioteca de Shanghai e até da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado (Fapesp). Uma doação do arquivo pessoal do jornalista Elio Gaspari feita em 2013 ainda está sem catalogar e segue indisponível ao público.

“Com essa grande quantidade de títulos acumulados que temos, levaremos alguns anos para terminar (de catalogar)”, disse o supervisor de acervo, Henrique Ferreira. A Secretaria da Cultura estima em dois anos o prazo para oferecer ao público todas as 15 000 obras. A biblioteca tem cerca de 350 300 livros catalogados.

A Mário de Andrade – biblioteca mais importante da cidade e segunda maior do país – é a unidade que mais concentra doações na capital. Os livros são analisados na chegada e, caso constatado que a biblioteca já os possui em bom estado, são encaminhados a alguma das 54 bibliotecas da rede municipal.

O quadro de funcionários da biblioteca caiu desde 2013 – de 116 para 90. O número de bibliotecários passou de 25 para 18, segundo relatório final da gestão 2013-2016. A queda contrasta com a mudança no orçamento, que subiu de 6 milhões de reais em 2013 para 10 milhões de reais no ano passado.

Agência Estado