Notícia

Jornalistas da Web

Microsoft e Fapesp revelam projetos que terão apoio

Publicado em 24 novembro 2008

Por Thiago Romero

Agência Fapesp

A Fapesp e a Microsoft Research anunciaram na quarta-feira (19/11), na sede da Fundação paulista, os dois projetos contemplados na segunda chamada de projetos de pesquisa do Instituto Virtual de Pesquisas Fapesp-Microsoft Research.

Com foco no avanço do conhecimento, a parceria apóia a pesquisa fundamental e de classe mundial em Tecnologias de Informação e Comunicações (TICs) por meio da identificação e seleção de trabalhos capazes de ampliar o acesso dos cidadãos às novas tecnologias, reduzindo diferenças socioeconômicas, culturais e regionais.

- Com esse esforço da Fapesp junto à comunidade científica de São Paulo em um conjunto de áreas ligadas à ciência da computação, buscamos aumentar o impacto e a visibilidade internacional da boa ciência que se faz no estado - disse Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da Fapesp, em encontro de avaliação dos projetos aprovados na primeira chamada.

- Dentro dessa estratégia, essa parceria com a Microsoft apóia o desenvolvimento de pesquisas cooperativas que contribuam para o progresso da ciência, sem necessariamente ter uma aplicação imediata no mercado. O encontro serviu ainda para aumentar o relacionamento de natureza acadêmica entre os pesquisadores apoiados pelo programa. A ciência é um ato social e não individual - afirmou Brito Cruz pouco antes da apresentação dos trabalhos apoiados.

Daron Green, pesquisador sênior para investigações externas da Microsoft, demonstrou satisfação em apoiar novos projetos por meio da parceria entre as instituições: "É muito bom estar aqui e demonstrar o comprometimento da Microsoft no apoio a pesquisas realizadas no Brasil. Temos um plano de expansão a longo prazo para o país e desejamos acrescentar mais projetos aos já existentes".

Os projetos contemplados são JamSession - uma arquitetura descentralizada para mundos virtuais especializados e a Web 3.0, coordenado por Flávio Soares Corrêa da Silva, do Instituto de Matemática e Estatística da Universidade de São Paulo (USP), e Triagem automática de retinopatias diabéticas: tecnologia da informação contra a cegueira prevenível, que será conduzido pelo professor Jacques Wainer, do Instituto de Computação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Após o anúncio dos trabalhos aprovados, Green apresentou a palestra "Innovation in a Complex World: examples and challenges", quando falou sobre alguns desafios tecnológicos para os próximos anos e exemplos de projetos bem-sucedidos da empresa norte-americana, que conta com 800 pesquisadores trabalhando em laboratórios e centros de excelência espalhados pelo mundo.

- Em muitos casos o objetivo principal desses pesquisadores é publicar trabalhos e inovar em seus campos de atuação. Geralmente eles publicam os estudos primeiro e pedem perdão depois, se fizeram algo que não deveriam - brincou.

Entre as linhas de pesquisa em desenvolvimento atualmente, Green destacou os estudos para o aumento da capacidade de processamento de dados em larga escala, que hoje são provenientes de uma infinidade de fontes, desde telescópios e sensores ambientais até sistemas bancários e banco de dados de grupos de pesquisas científicas: "hoje, estamos em um dilúvio de dados que até dez anos atrás não existia".

Os coordenadores dos cinco projetos contemplados na primeira chamada do Instituto Virtual de Pesquisas Fapesp-Microsoft Research, selecionados em setembro de 2007, apresentaram detalhes sobre o andamento de seus trabalhos, nas áreas de saúde, educação, inclusão digital, agricultura e governo eletrônico.

O Instituto Virtual de Pesquisas Fapesp-Microsoft Research, resultado de um convênio assinado entre as duas instituições em abril de 2007, é uma iniciativa pioneira no Brasil que associa os setores público e privado de modo a estimular a geração e a aplicação de conhecimento em TIC.

Mais informações sobre o convênio Microsoft Research-Fapesp podem ser obtidas aqui. JW.