Notícia

B2B Magazine

Metade cheia do copo

Publicado em 01 fevereiro 2006

Por Florência Ferrer
Quando você olha para um copo metade cheio e metade vazio, duas formas de encará-lo: pode achar que ele está quase vazio ou pode apreciar a parcela cheia. Em geral, se fizermos um balanço de 2005 em relação aos políticos e ao governo em geral, fica uma sensação ruim por todos os escândalos que acompanhamos durante o ano. Isso mostra o lado vazio do copo, ou seja, toda a deficiência que ainda existe nesse âmbito.
Porém, há uma outra realidade que, pessoalmente, testemunhamos e vivemos todos os dias. Viajei o ano todo pelo Brasil, trabalhando ao lado de gestores da área TI em governo. Venho conduzindo projetos de elaboração de estratégias que melhorem processos, reduzam custos para o Estado, para os cidadãos e para as empresas, além de medir resultados e mostrar em números o quanto todos estamos ganhando pela ação de um governo que comanda bem.
Dessa forma, quem nos chama são os melhores gestores do País e por isso ficamos indignados quanto à generalização da afirmação de que "todos os políticos são iguais" e "todo o governo é corrupto".
Tenho certeza de que há, sim, um olhar para o lado cheio do copo, e nos atrevemos a dizer é notavelmente maior que o lado vazio. Alguns poucos exemplos que estamos acompanhando:
1) Projeto PAI ("Pronto Atendimento Itinerante"): o barquinho no Amazonas que navega pelos rios carteiras de identidade e registros de casamentos, melhorando notavelmente a condição de cidadania.
2) Relógio da Economia de São Paulo: transparência nas contas e demonstração de resultados.
3) Recebimento de SMS (Short Message System) do INSS entregando diversas informações.
4) Alta aceitação do sistema Poupatempo e similares em outros Estados.
5) Projeto "Consulta Popular": votação das obras do orçamento do ano seguinte pela internet, no Rio Grande do Sul. Os cidadãos elegem os investimentos que querem na sua cidade e região.
6) Todos os programas de inclusão digital, os quais oferecem a oportunidade de um futuro mais promissor.
7) As inovações no portal de Minas Gerais, baseado no moderno conceito da estrutura eventos/linha da vida, e totalmente integrado com a central de atendimento telefônico.
8) Solução tecnológica inovadora no Departamento Estadual de Trânsito (Detran) do Rio Grande do Norte, tornando-se referência na área.
9) As experiências de sucesso na moderna gestão do Estado do Ceará, com destaque para as novas carreiras de gestão criadas (TI é uma delas), em que o pagamento de produtividade para o servidor é baseado em desempenho pessoal e institucional e atrelado a metas.
Tenho outros muito bons exemplos que poderia continuar citando, e posso assegurar que de Norte ao Sul do País temos iniciativas fantásticas na melhoria da gestão pública. E digo mais, precisamos divulgar, sim, esse lado cheio do copo, pois só assim conseguiremos treinar nosso olhar para a capacidade de mudanças, para o talento humano, para o foco nas soluções e, assim, fazer a diferença.

Florência Ferrer é doutora em sociologia econômica, coordenadora do Ned-Gov da Fundap-FAPESP, CEO de estratégia pública e da FF Pesquisa & Consultoria.
www.e-strategiapublica.com.br
florência@e-strategiapublica.com.br

Colaboraram neste artigo fornecendo informações: Roberto Agune, Adriano Queiroga, Marconi Martins de Laia, Ronei Ferrigolo, Paulo Alcântara, Adriano Motta e Bete Costa