Notícia

JC e-mail

Mesa-redonda: A visão e as atitudes dos brasileiros sobre a ciência e a divulgação científica

Publicado em 26 abril 2007

Com Ildeu de Castro Moreira, diretor do Depto. de Difusão e Popularização da C&T/MCT, Luisa Massarani, Museu da Vida/Fiocruz e Yurij Castelfranchi, Labjor/Unicamp

O evento debaterá os resultados da enquete nacional realizada pelo MCT e pelo Museu da Vida/Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz, em parceria com a Academia Brasileira de Ciência, com colaboração do Labjor/Unicamp, do Centro de Estudios sobre Ciencia, Desarrollo y Educación Superior-REDES/RICYT/Argentina e da London School of Economics/Inglaterra. Financiada por MCT e executada pela CDN Estudos & Pesquisa.

Apresentação:
Ildeu de Castro Moreira, diretor do Departamento de Difusão e Popularização da Ciência e Tecnologia/SECIS/MCT
Luisa Massarani, Museu da Vida/Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz
Yurij Castelfranchi, Labjor/Unicamp

Dia 2 de maio, às 14h, no Auditório do Museu da Vida, Fundação Oswaldo Cruz, Av. Brasil 4365, Manguinhos, RJ, Evento gratuito.
Informações: cestudos@fiocruz.br
Os resultados mostram que assuntos como ciência e tecnologia interessam mais a população brasileira do que política ou moda, por exemplo, e quase o menos que esportes. A pesquisa nacional de percepção pública da ciência e tecnologia destaca também a avaliação dos benefícios e prejuízos que o tema traz para o cotidiano da população. Outras questões levantadas estão relacionadas ao conhecimento da população sobre as instituições de pesquisa brasileiras e sobre os cientistas, bem como a credibilidade desses profissionais em relação a outras profissões.
A pesquisa aponta uma avaliação e o conhecimento sobre ciência e tecnologia no Brasil, além de fatores que têm dificultado o avanço científico no País. Vale ressaltar, ainda, o levantamento das áreas de C&T que são mais importantes para o desenvolvimento nacional nos próximos anos.
O principal objetivo da pesquisa foi fazer um levantamento do interesse, grau de informação, atitudes, visões e conhecimentos que os brasileiros têm sobre a ciência e tecnologia. A pesquisa teve como público-alvo brasileiros com idade a partir de 16 anos.
Este estudo quantitativo foi realizado por meio de entrevistas, domiciliares e pessoais, entre os dias 25 de novembro e 9 de dezembro de 2006. A amostra envolveu 2.004 entrevistas que, para um intervalo de confiança de 95%, tem uma margem de erro máxima de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total de respostas. Esta amostra, representativa da população brasileira, tomou por base dados da Fundação IBGE.
O questionário continha 24 questões, entre as quais o grau de participação em eventos de divulgação, a visitação a museus de ciência e opiniões sobre a cobertura da mídia em temas de C&T.
A produção do questionário, que levou em conta pesquisas anteriores realizadas na Europa, em países como a Argentina e cidades como São Paulo, foi feita por um grupo de trabalho, coordenado por Ildeu de Castro Moreira (MCT) e Luisa Massarani (Museu da Vida/Fiocruz), do qual participaram Marcelo Knobel (IFI/Unicamp), Yurij Castelfranchi (LabJor/Unicamp), Carlos Vogt (LabJor/Unicamp e Fapesp), Martin Bauer (London School of Economics, Inglaterra), Carmelo Polino (Ricyt e Centro Redes, Argentina), Maria Eugenia Fazio (Centro Redes, Argentina).