Notícia

Jornal da Unesp online

Memória ferroviária é ponto de partida para debate sobre patrimônio industrial

Publicado em 17 março 2011

Com inscrições até amanhã, evento tem como destaque pesquisador espanhol

Organizado pelo professor Eduardo Romero de Oliveira, do Câmpus de Rosana, o Seminário Patrimônio Industrial será realizado no Câmpus de Bauru, nos dias 24 e 25 de março. O encontro integra uma série de atividades que serão desenvolvidas a partir de 21 de março em vários municípios paulistas.

O evento discutirá, entre outros assuntos, temas relacionados à pesquisa "Memória Ferroviária", estudo do professor Oliveira que é financiado pela Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo). "Patrimônio industrial são objetos e edifícios que se tornam referências históricas das sociedades industrializadas contemporâneas", explica o pesquisador. "É o caso da Torre Eiffel, que não só é o maior exemplo de vestígio da industrialização, como é um dos pontos turísticos mais visitados do mundo."

Para participar do encontro em Bauru , o interessado deverá se inscrever até esta sexta-feira (18/03) na Seção de Apoio à Pesquisa e Extensão (SAEPE) do câmpus, das 8h30 às 11h30 e das 14h às 17h.

As atividades do grupo terão início em 21 de março com uma visita técnica a sítios industriais da Região Metropolitana de São Paulo, sob acompanhamento de técnicos do Iphan/SP (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), uma das instituições realizadoras desse ciclo, juntamente com a Universidade (também com participação do Cedem- Centro de Documentação e Memória da Unesp), com o Centro Paula Souza, com a Universidade Federal da Grande Dourados (MS) e com a Unicamp.

No debate de Bauru, um dos destaques será o professor Julian Sobrino Simal, da Universidade de Sevilha, especialista que é referência no assunto. O espanhol fará uma apresentação do tema na palestra de abertura, às 9h. Na sequência, será a vez do professor Nilson Ghirardello, do Departamento de Arquitetura, Urbanismo e Paisagismo da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação, Câmpus de Bauru. Ghirardello discorrerá sobre a Estrada de Ferro Noroeste do Brasil e seu patrimônio arquitetônico em Bauru.

O idealizador do projeto, Eduardo Romero de Oliveira, falará em seguida de sua pesquisa sobre a Memória Ferroviária de São Paulo de 1868 a 1971, cujo objetivo é recolher a documentação histórica referente às empresas ferroviárias paulistas. A partir das 14h, haverá uma visita monitorada ao Complexo Ferroviário de Bauru, com trinta vagas disponíveis. "Em minha palestra, farei uma prévia das construções de 1920 que os participantes encontrarão na visita de campo. Também visitaremos as oficinas da antiga Noronha Sul do Brasil, que eram montadoras com características industriais", diz o professor.

Outras cidades

Antes, em 21 de março, os pesquisadores farão visitas técnicas a sítios industriais da Região Metropolitana de São Paulo, sob acompanhamento de técnicos do Iphan/SP. No dia seguinte, a partir das 14h, Simal e a professora Cristina Meneghello, da Unicamp, darão palestras no Iphan voltadas a representantes de órgãos de preservação do patrimônio e universidades.

No dia 23, o grupo de pesquisadores e a equipe do projeto visitarão o Complexo das Antigas Oficinas da Companhia Paulista de Jundiaí. Essa atividade não será aberta ao público.

Em 28 e 29 de março, o Câmpus de Rosana receberá a aula-magna do professor espanhol, na abertura do ano letivo do curso de Turismo da unidade, sob o tema "A gestão de patrimônio industrial na Espanha". Também será realizada uma visita técnica à Usina Hidrelétrica Sergio Motta, ao Museu de Memória Regional e ao distrito de Primavera.

Bruna Kalaes