Notícia

Comércio da Franca online

Médico francano doa R$ 300 mil para centro de pesquisa

Publicado em 25 fevereiro 2005

Ribeirão Preto vai assistir hoje à inauguração de um Centro de Pesquisa em Virologia pertencente à USP (Universidade de São Paulo). Entre as presenças confirmadas no evento está a de um francano que ajudou financeiramente a construção. O médico Antônio Jaiter Maniglia, 67, nasceu em Franca, estudou em Ribeirão e fez carreira nos Estados Unidos. Ele foi o responsável pela doação de R$ 300 mil para a construção do laboratório, quantia que corresponde a cerca de um terço do que foi gasto. O restante veio da própria USP e da FAPESP (Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de São Paulo).
A doação foi feita em 2003 por meio do Maniglia Medical Education and Research Foundantion, fundação criada pelo médico em Cleveland, Ohio. Foi nessa região que ele iniciou a carreira como residente de Cirurgia e terminou a vida profissional como catedrático do departamento cirúrgico da Case Western Reserve University School.
Para o médico, essa doação representou o reconhecimento pela educação que a universidade lhe deu no período em que estudou lá. "Quero que esse ato estimule outras pessoas a fazerem doações para a universidade pública", disse. Além da USP de Ribeirão, a Faculdade Estadual de Medicina de Rio Preto também já foi beneficiada com uma doação do médico.
Antônio acredita que o tipo de pesquisa que será feita no laboratório terá muita utilidade para a região. "O laboratório vai pesquisar doenças como a aids e a dengue, que têm muita incidência nessa região".

O laboratório
A Unidade de Virologia da USP de Ribeirão Preto começou a ser construída em 2003. A obra toda custou mais de R$ 1 milhão. O local tem quatro laboratórios multidepartamentais e possibilitará estudos com arboviroses (associados a roedores), febre amarela, dengue, hantavirus e também com doenças infecciosas causadas por vírus respiratórios.

Maniglia nasceu em Franca e deu plantão na Santa Casa
O médico Antônio Jaiter Maniglia, 67, nasceu em Franca, cidade onde passou sua infância e parte da juventude ao lado dos pais. Entre 1957 e 1962 cursou medicina na USP de Ribeirão Preto. Nestes seis anos trabalhou como vendedor, professor de matemática e plantonista da Santa Casa, tudo para garantir a sobrevivência durante os estudos.
Depois de formado, com o CRM em mãos, ele foi para São Paulo. De lá, partiu para os Estados Unidos, onde desenvolveu uma carreira de sucesso como otorrinolaringologista e cirurgião plástico e criou a Maniglia Medical Education and Research Foundation. Agora, Antônio está aposentado e divide seu tempo entre Franca, onde ainda tem familiares, e os EUA, onde moram seus filhos.
Nesses mais de 40 anos envolvidos com a medicina, o médico não se dedicou apenas à atuação prática como clínico. Sempre preocupado com a educação e a formação dos novos profissionais da medicina, Antônio publicou cerca de 50 trabalhos e sete livros e atuou como professor de diversas instituições em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e outros locais, além de ter ministrado cursos avulsos em várias localidades. "É preciso se comprometer a ajudar os alunos para garantir profissionais de qualidade", disse ele.