Notícia

Universia Brasil

Medicina baseada em evidências

Publicado em 29 dezembro 2006

A medicina baseada em evidências é a integração da experiência clínica com a capacidade de aplicar a informação científica de maneira a melhorar a qualidade da assistência médica. O conceito, cada vez mais presente nos consultórios, está no recém-lançado livro Prática Clínica Baseada em Evidência (Elsevier Editora).
Os autores são os médicos Moacyr Roberto Nobre, diretor da Unidade de Epidemiologia Clínica do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas, e Wanderley Bernardo, professor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
A obra apresenta bases de sustentação para obtenção e análise de evidências científicas, mostrando os caminhos para que o profissional de saúde possa encontrar a informação desejada em periódicos e bases de dados informatizadas - prática conhecida como revisão sistemática.
"A proposta é inserir as metodologias de pesquisa da medicina baseada em evidências na prática clínica. A partir dos dados que são recuperados em bases eletrônicas, a intenção é mostrar os procedimentos de separação crítica das informações de qualidade para aplicação junto aos pacientes", disse Nobre à Agência FAPESP.
Segundo ele, a medicina baseada em evidências está fundamentada nas diretrizes clínicas criadas pelas sociedades nacionais de especialidades médicas. São padrões de tratamentos médicos que passaram por revisão sistemática, avaliação crítica e aplicação prática.
"Contamos com mais de 240 diretrizes clínicas disponíveis para consulta pública no site da Associação Médica Brasileira. Das 56 sociedades nacionais, 43 já estão envolvidas com a produção dessas diretrizes", conta Nobre.
As diretrizes traduzem de maneira prática o que foi pesquisado e aplicado por outros médicos, com recomendações de tratamentos e referências bibliográficas. O livro, que tem uma linguagem de fácil compreensão e é destinado a estudantes e médicos especialistas, conta com um capítulo exclusivo sobre diretrizes clínicas.
Nobre divide a publicação em três fundamentos da medicina: a experiência médica acumulada, as melhores evidências científicas e a participação dos pacientes. Segundo ele, outra proposta da obra é tentar quebrar o paradigma de que as informações científicas utilizadas pela medicina baseada em evidências são dissociadas dos interesses dos pacientes.
"É cada vez mais comum pacientes chegarem a consultórios com informações sobre as quais nem mesmo o especialista tem conhecimento. Há pacientes que se reúnem em grupos de discussão sobre uma doença específica e recebem informações recém-divulgadas sobre o tratamento. Por conta disso, para que as evidências científicas sejam aplicadas, é importante que o paciente seja parte integrante do processo de tomada de decisão", disse Nobre. [Fapesp]