Notícia

Jornal da Unesp

Material reforça próteses odontológicas

Publicado em 01 junho 2014

Um projeto coordenado pelo professor Tarcisio José de Arruda Paes Junior, do Departamento de Materiais Odontológicos e Prótese do Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT) da Unesp, Câmpus de São José dos Campos, obteve um material de reforço para próteses odontológicas. A proposta foi desenvolvida em parceria com a empresa Natmar Moldes e Plásticos Ltda., com apoio financeiro da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

O projeto envolveu a produção de uma malha de náilon experimental que recebeu a adição de sílica. O material é feito em um corpo único, em forma de malha, com dimensões que permitem sua utilização no interior da resina acrílica em próteses dentárias removíveis, parciais ou totais. O objetivo é aumentar a resistência mecânica das próteses, facilitando o manuseio técnico e propiciando leveza ao produto.

Após desenvolver o material, Paes Junior consultou a Agência de Inovação da Unesp (AUIN) para patentear o produto. “Após cerca de um ano, tivemos a grata satisfação de ter o depósito da patente da malha de náilon experimental pelo Inpi”, comenta. “Passado algum tempo, este mesmo depósito teve a sua extensão internacional aceita.”

Paralelamente ao processo de patente, foi realizada uma dissertação de mestrado por Fernanda de Cássia Papaiz Gonçalves, orientanda de Paes Junior. Os resultados obtidos na pesquisa propiciaram o uso do material em casos clínicos na unidade.

Em 2013, os dados do trabalho foram apresentados como painel científico na 7ª Reunião do Grupo Brasileiro de Reciclagem em Prótese e Implante (GBRPI), obtendo a primeira colocação. O prêmio propiciou as passagens aéreas para a apresentação da pesquisa no Congresso da International Academy of Dental Research (IADR), que ocorre em junho em CapeTown, Africa do Sul.

Paes Junior destaca a importância da inserção da fibra de náilon em próteses bucomaxilofaciais obturadoras bucofaringeanas, usadas para vedar a região posterior do palato (o “céu da boca”). Essas próteses são indicadas para pacientes submetidos a ressecções tumorais – retirada de tecidos afetados por câncer –, que são atendidos no ICT, pelo Projeto Onco, ligado à Pró-reitoria de Extensão Universitária (Proex).

“As próteses confeccionadas para esses pacientes utilizando-se desta alternativa de recurso para reforço das extensões palatinas das próteses têm propiciado excelentes resultados, sobretudo quanto à longevidade e conforto nos uso dos aparelhos”, esclarece o pesquisador. “Outras indicações para a malha de náilon estão sendo testadas, a fim de ampliar a gama de indicações e benefícios que seu uso possa trazer à odontologia.”

Além de Paes Junior e da mestranda Fernanda, participam do projeto os professores Estevão Tomomitsu Kimpara e Guilherme de Siqueira Ferreira Anzaloni Saavedra, do ICT, além de Natalia de Paschôa Navarrias e Marco Aurelio de Paschôa, os proprietários da empresa Natmar