Notícia

Jornal da Unesp

Matas paulistas, escassas, mas ricas

Publicado em 01 janeiro 2013

Por Ligya Aliberti

Um levantamento inédito de 1.856 espécies de animais e plantas deu origem ao livro Fauna e flora de fragmentos florestais remanescentes da região noroeste do Estado de São Paulo (Holos Editora, 2012). Editada pelo professor Orlando Necchi Júnior, do Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (Ibilce), Câmpus de São José do Rio Preto, a obra apresenta alguns seres vivos ainda não descritos pela ciência. A publicação, que teve apoio da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), resulta do trabalho de mais de cem pesquisadores.

Em 18 trechos de mata do noroeste paulista, foram detectadas 5 novas espécies de insetos e outras 2 com ocorrência relatada somente na América Central. Dezenas de espécies de ácaros foram descobertas, e 7 delas já foram descritas por pesquisadores Ibilce. Também foram identificados 3 fungos desconhecidos pela literatura científica.

“A diversidade encontrada superou nossas expectativas, até mesmo nas áreas menores, nas quais julgávamos que existiriam poucas espécies exclusivas”, afirma Necchi Júnior, coordenador geral do estudo. “Imaginávamos que encontraríamos grande número de plantas e animais comuns entre as áreas, mas apenas 0,5% das espécies estava presente em todos os fragmentos.”

Propriedades particulares

O trabalho foi executado de 2005 a 2010 por estudiosos do Ibilce e de outras universidades e institutos de pesquisa, por meio do projeto Biota-Fapesp (Programa de Pesquisas em Caracterização, Conservação e Uso Sustentável da Biodiversidade do Estado de São Paulo).

O livro tem dezesseis capítulos, cada um escrito por um especialista. “Esse trabalho representou um progresso significativo no conhecimento faunístico e florístico da região”, analisa Luis Henrique Zanini Branco, professor do Ibilce e coordenador do subprojeto da área de criptógamas, que envolve algas, cianobactérias, musgos, samambaias e fungos.

As matas estudadas, que se situam em propriedades particulares e apresentam a vegetação original, localizam- -se em dezesseis cidades: Novo Horizonte, Sales, Planalto, União Paulista, São João de Iracema, Nova Granada, Barretos, Bebedouro, Matão, Santo Antonio do Aracanguá, Macaubal, Votuporanga, Turmalina, Palestina, Taquaritinga e Pindorama.