Notícia

Anba - Agência de Notícias Brasil-Árabe

Masdar Institute quer mais estudantes brasileiros

Publicado em 26 outubro 2015

São Paulo - O Instituto Masdar de Ciência e Tecnologia, instituição de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, que desenvolve pesquisas e oferece cursos de pós-graduação em energias sustentáveis, quer receber mais estudantes brasileiros a partir do próximo ano.

Na semana passada, profissionais do instituto foram recebidos pelo presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), José Goldemberg, e manifestaram o desejo de receber mais estudantes brasileiros em sua sede, na Masdar City. Goldemberg propôs a celebração de um convênio para intercâmbio de pesquisadores das duas instituições.

 

Hoje há cinco estudantes do Brasil lá, mas que foram de forma independente. “Eles nos visitaram como um esforço para levar mais estudantes para lá. O Masdar Institute foi criado em colaboração com o Massachusetts Institute of Technology (MIT), dos Estados Unidos, que tem uma taxa de matrícula muito elevada, o que não ocorre na Masdar”, afirmou Goldemberg à ANBA.

 

“Além disso, oferecem acomodação e laboratórios para a realização de pesquisas. É uma ótima oportunidade para estudos na área de energia renovável”, disse Goldemberg. Segundo o presidente da Fapesp, o Masdar Institute quer atrair pelo menos dez brasileiros já nas inscrições para os cursos do ano que vem, que começam em novembro de 2015. As aulas têm início em agosto de 2016.

 

Independentemente do Masdar receber mais alunos do País no próximo ano, Goldemberg sugeriu a celebração de uma parceria entre a Fapesp e o Masdar. Neste caso, o foco do projeto é promover o intercâmbio de pesquisadores das duas instituições. “Eu convidei a reitor do Masdar a vir ao Brasil para celebrarmos com eles um convênio como aqueles que hoje mantemos com o MIT e com a universidade de Oxford (no Reino Unido), por exemplo. Nós e eles identificaríamos pesquisadores para fazer o intercâmbio”, disse.

 

O Masdar Institute é parte do projeto de Abu Dhabi de diversificar sua economia a partir da sua principal fonte de receita, o petróleo. A Masdar City foi construída de acordo com práticas sustentáveis e assim se mantém. Os carros que circulam em partes do campus são elétricos e não têm motorista. Os prédios foram projetados para promover a circulação do ar em meio a um clima desértico, assim como em sua construção foram utilizados materiais descartados em outras obras.

 

A instituição tem cem pesquisadores, oferece bolsas de estudos e busca estudantes de diversos países, especialmente aqueles que se destacam no desenvolvimento de energia renovável. Além do Brasil, os profissionais da Masdar citaram a Austrália como um exemplo de nação com potencial de desenvolvimento e pesquisa em energias renováveis. As aulas são em inglês.