Notícia

Folha da Região (Araçatuba, SP) online

Marini: agronegócio paulista tem crescimento balanceado

Publicado em 05 dezembro 2016

Por Autor não informado

O PIB (Produto Interno Bruto) do agronegócio paulista saltou de R$ 195,7 bilhões em 2008 para R$ 213,1 bilhões em 2013, o que representou um crescimento de 8,86% no período. Com isso, o setor alcançou o notável patamar de 20% no PIB do agronegócio brasileiro e 15% no PIB global do Estado de São Paulo.

Os números espelham uma realidade positiva do segmento, se comparada aos demais setores da economia. Estudo da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), divulgado sexta-feira (2), conclui que o agronegócio paulista tem apresentado um padrão de crescimento "mais balanceado" em comparação ao conjunto da economia brasileira, em que se tem observado um processo marcante de desindustrialização. Naquele período, o segmento "dentro da porteira" de produção de matérias-primas, cresceu com uma taxa acumulada de 13,41%, seguida dos segmentos agroindustrial (9,74%) e serviços (9,61%).

 

 

Cana é o destaque

Segundo a Fapesp, entre as atividades agrícolas do Estado, o maior destaque em termos de área cultivada é a produção de cana-de-açúcar, que utiliza cerca de 60% da área plantada. A indústria sucroalcooleira transforma R$ 4,8 bilhões de cana em R$ 13,6 bilhões de açúcar e etanol, quase triplicando o valor da matéria-prima. O milho vem a seguir com 13%, seguido pela soja e a laranja que ocupam 8% e 7% da área planta, respectivamente. A cana também lidera a geração de renda em atividades agrícolas, com 46%, seguida pela laranja com 16%, o milho (6,6%), soja (4%) e café (3,6%).

 

 

Agroindústria

Entre as atividades agroindustriais, destacam-se a indústria sucroalcooleira, que possui 22% de participação no PIB agroindustrial, seguida pela de celulose e papel (15,4%), bebidas (10,1%), abates de animais (6,1%), móveis (5,9%), panificação (4,6%) e vestuário (4,1%).

 

 

Especialização produtiva

São Paulo é bastante dependente da compra de produtos agropecuários de outros estados para assegurar o processamento e o abastecimento interno, segundo a análise do pesquisador Geraldo Sant'Ana de Camargo Barros, professor da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo (Esalq-USP), de Piracicaba. O Centro-Oeste do Brasil, por exemplo, fornece para São Paulo bovinos para abate, soja e milho para esmagamento e madeira para a produção de celulose.

 

 

Importação

Minas Gerais fornece madeira para serraria juntamente com o Estado do Paraná, que também fornece suínos. E parte do algodão processado em São Paulo vem de Goiás e da Bahia, enquanto o trigo é procedente de estados do Sul do país e da Argentina. "Essa importação por São Paulo de alguns produtos e insumos de alguns estados e países, contudo, é normal, uma vez que, para o estado e para o país, o que importa é que cada região produza de acordo com suas vantagens comparativas", opina.

 

 

Gás paulista

As três distribuidoras de gás canalizado de São Paulo - Comgás, Gás Natural São Paulo Sul e Gás Brasiliano - terão de investir R$ 12,8 bilhões até 2029, para atender aos compromissos de expansão das redes de distribuição. Com isso, a rede de gasodutos passaria dos atuais 16 mil quilômetros para 45 mil quilômetros e o número de municípios atendidos por rede de gás natural canalizado, no Estado, saltaria de 143 para 285, equivalente a 44% das cidades paulistas. Segundo o jornal Valor Econômico, a expectativa do governo paulista é que 5,2 milhões de unidades consumidoras tenham gasodutos à sua disposição até 2029, frente aos 1,78 milhão de consumidores hoje conectados à rede no Estado.

 

 

No cardápio

Restaurantes poderão ser obrigados a informar em seus cardápios a presença de glúten e lactose nas refeições, se for aprovado projeto de lei nesse sentido, de autoria de Chico Sardelli (PV). Já tem o aval da Comissão de Saúde da Casa.

 

 

Dengue

A proximidade do verão traz de volta os alertas sobre os riscos de novos surtos de dengue, chikungunya e zika. No período chuvoso, aumenta a proliferação do mosquito. Ações básicas, como não deixar água parada em residências e em terrenos públicos, evitam a proliferação de casos. Para isso, há a necessidade de mobilização da comunidade, especialmente para o controle dos focos do mosquito e tratamento correto das doenças causadas pelo inseto.

 

 

Antibullying

A OAB-SP lançou quinta-feira (1) o Guia de Prevenção ao Bullying, que tem por objetivo apresentar aos professores informações sobre o programa de prevenção à intimidação sistemática, promovendo ações específicas em sala de aula para combater essa prática. O guia sugere a promoção de vivências, discussões e atividades que ensinem aos alunos a se colocarem uns no lugar dos outros, de modo que cada um vivencie os males causados pelo bullying. Além disso, traz informações sobre a legislação vigente e qual a responsabilidade da escola.

 

 

Turismo

Igor Galli, turismólogo brasileiro de 35 anos, já percorreu mais de 150 países pelo mundo. Passou por tantas aventuras e experiências que é considerado a pessoa mais viajada do mundo na sua idade. Em dezembro, ficará no estado de São Paulo, devendo visitar Limeira, Campinas e Santos, além da Capital.