Notícia

Portal Fator Brasil

MAR na Academia — Polifonia

Publicado em 01 dezembro 2016

O Museu de Arte do Rio – MAR, sob a gestão do Instituto Odeon, promove o evento MAR na Academia – Polifonia nos dias 2 e 7 de dezembro. Iniciado em 2013, o Polifonia promove o diálogo entre artistas e pensadores de diversas áreas. Nesta edição, os curadores Tato Taborda e Hélio Cavalho convidam Giuliano Obici, Alexandre Fenerich, Marco Scarassatti e José Damasceno para um bate-papo sobre o tema “Uso Impróprio”. Cada participante vai discorrer sobre suas obras e processos através de novas abordagens e conexões, propiciando descobertas e desdobramentos sempre originais. O projeto é resultado de uma parceria entre o Curso de Graduação em Artes e o de Pós-Graduação em Estudos Contemporâneos das Artes – da Universidade Federal Fluminense (UFF) – e a Escola do Olhar do Museu de Arte do Rio.

 

Programação: MAR na Academia – Polifonia, dia 2 de dezembro - Giuliano Obici e Alexandre Fenerich, no MAC – Niterói(RJ). 7De dezembro - Marco Scarassatti e José Damasceno, no MAR.

 

Giuliano Obici: Artista-pesquisador sonoro com formação em artes, comunicação e psicologia. Professor adjunto do departamento de artes da UFF. Escreveu o livro "Condição da Escuta: mídias e territórios sonoros" e artigos diversos. Recebeu o prêmio Giga-Hertz-Preis do Centro de Arte e Mídia (ZKM - Karlsruhe) e Experimental Studio (Freiburg), Residência Redbull Station e bolsas de pesquisa do DAAD, FAPESP e CAPES. Forma o duo de música experimental Ene menos Um com Alexandre Fenerich.

 

Alexandre Fenerich: Compositor, flautista e sound designer. é professor adjunto do Instituto Villa-Lobos da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Doutor em musicologia pela USP (2012). Trabalha com composição musical sobre mídias digitais, com foco em live eletronics, espacialização aural e performances audiovisuais ao vivo. Atua com Giuliano Obici no Duo N-1, centrado em experimentações sonoras e audiovisuais. Participa do grupo de criação musical colaborativa Persona, com Fernando Iazzetta, José Augusto Mannis, Rodolfo Caesar e Lilian Campesato. Cria desde 2007 obras como intérprete e compositor com o saxofonista Manuel Falleiros. Ganhou diversos prêmios e editais com seu trabalho, dentre eles o Prêmio Funarte de Composição Clássica (2005).

 

Marco Scarassatti: Compositor e artista sonoro, dedicado à experimentação musical e à criação de novos dispositivos instrumentais. Coordenador do grupo de pesquisa EPART, coordenador da área de música do Pibid FaE/UFMG, coordenador do Projeto Quarta Doze e Trinta e Curador de Música do CCult UFMG. É autor do livro Walter Smetak, o alquimista dos sons. Tem atuado principalmente nos seguintes temas: composição, escultura e instalação sonora, improvisação e educação musical.

 

José Damasceno: Escultor. Nasceu no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha. Entre suas exposições individuais, destacam-se Coordenadas y Apariciones, Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofia, Madrid, Espanha (2008); Espace Topographie de lArt, 37 Festival d’ Automne a Paris, France (2008); Viagem à Lua, 52. Biennale di Venezia, Pavilha?o Brasileiro, Venice, Italy (2007); Observation Plan, Museum of Contemporary Art, Chicago, USA (2004). Em exposic?o?es coletivas, destacam-se: Cruzamentos: Contemporary Art in Brazil, Wexner Center for the Arts, Ohio, USA (2014); Biennale of Sydney, Australia (2006); XXV Bienal de São Paulo, Brasil (2002). Sua obra esta? presente em diversas coleções públicas, entre as quais: Cisneros Fontanals Art Foundation - CIFO, Miami, USA; Coleccion Jumex, DF, Mexico; Daros-Latinamerica AG, Zurich, Switzerland; Inhotim Centro de Arte Contempora?nea, Brumadinho, Brasil; MACBA - Museu d'Art Contemporania de Barcelona, Barcelona, Spain; Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Brasil; Museu de Arte Moderna de São Paulo, Brasil; MoMA, New York, USA.

 

Ingresso: R$ 20 | R$ 10 (meia-entrada) – pessoas com até 21 anos, estudantes de escolas particulares, universitários, pessoas com deficiência e servidores públicos da cidade do Rio de Janeiro. O MAR faz parte do Programa Carioca Paga Meia, que oferece meia-entrada aos cariocas e aos moradores da cidade do Rio de Janeiro em todas as instituições culturais vinculadas à Prefeitura. Apresente um documento comprobatório (identidade, comprovante de residência, contas de água, luz, telefone pagas com, no máximo, três meses de emissão) e retire o seu ingresso na bilheteria. Pagamento em dinheiro ou cartão (Visa ou Mastercard).

 

Bilhete Único: R$ 32 – R$ 16 (meia-entrada) cariocas e residentes no Rio de Janeiro, mediante apresentação de documentação ou comprovante de residência comprobatórios. Serão considerados documentos comprobatórios aqueles que contenham o local de nascimento, tais como RG, carteira de habilitação, carteira de trabalho, passaporte etc. Serão considerados comprovantes de residência os títulos de cobrança com no máximo 3 (três) meses de emissão, como serviços de água, luz, telefone fixo ou gás natural, devidamente acompanhado de documento oficial de identificação com foto (RG, carteira de habilitação, carteira de trabalho, passaporte etc.) do usuário.

 

Política de gratuidade: Não pagam entrada – mediante a apresentação de documentação comprobatória – alunos da rede pública (ensinos fundamental e médio), crianças com até cinco anos ou pessoas a partir de 60, professores da rede pública, funcionários de museus, grupos em situação de vulnerabilidade social em visita educativa, Vizinhos do MAR e guias de turismo. Às terças-feiras a entrada é gratuita para o público geral. No último domingo do mês, o museu tem entrada grátis para todos por meio do projeto Domingo no MAR.

 

De terça a domingo, das 10h às 17h, na Praça Mauá, 5 – Centro do Rio de Janeiro. Às segundas o museu fecha ao público.Mais informações pelo telefone (+55 21) 3031-2741 | Site www.museudeartedorio.org.br.