Notícia

Blog Apocalipse - O fim dos tempos

Mar ameaça cidades de várias partes do mundo

Publicado em 07 novembro 2019

Este avanço do mar mudará drasticamente a situação nos litorais dos EUA, Brasil, Caribe e Japão

O avanço do mar é um fenômeno registrado no litoral dos 17 Estados brasileiros banhados pelo oceano Atlântico. Segundo a imprensa, levantamentos feitos há algum tempo mostram que este avanço acontece a uma velocidade acima do normal em alguns locais ... Especialistas preveem alterações ainda mais significativas nos próximos anos. Segundo Bol Notícias, no litoral de Pernambuco, a erosão marinha é um problema verificado em aproximadamente 1/3 das praias... As alterações climáticas e suas consequências estão cada vez mais evidentes. O que pode soar distante se confirma com sinais próximos que podem passar despercebidos. Estudos recentes conduzidos pela Faculdade de Oceanografia da UERJ demonstram que a frequência de ressacas significativas que atingem o município do Rio de Janeiro, tem se mantido elevado na última década (2007-2016). Entenda como ressaca significativa, todo e qualquer evento extremo oceanográfico na orla do Rio de Janeiro, que tenha oferecido risco e/ou acidentes para a cidade, segundo o Olhar Oceanográfico.

Problema mundial - Fenômeno originalmente natural, a erosão é um problema mundial. A região mais atingida é a costa do mar Cáspio, com uma média de 600 m de perda de praia em alguns pontos e de 700 m de ganho em outros. O litoral de países da Ásia, América do Sul, leste da África e oeste da Austrália apresentou uma média de erosão acima de 50 m, de acordo com um estudo publicado em agosto de 2008 na Scientific Reports. Como em outros países, a variação do volume de sedimentos no Brasil se mostrou mais intensa em áreas mais urbanizadas, com portos, tubulações de esgotos avançando para o mar ou com casas e hotéis construídos na beira da praia. “As obras interrompem o fluxo de sedimentos e fazem as praias engordar de um lado, enquanto as do outro lado perdem areia”, diz Pesquisa da Fapesp."As regiões Norte e Nordeste são as mais atingidas do litoral brasileiro também por causa da baixa declividade das praias, que facilita o avanço do mar, e das marés mais intensas, entre outros fatores. No Nordeste, houve um agravante: a seca prolongada no sertão nos últimos anos. Com menos água, os rios levaram menos areia para o litoral, enquanto o mar continuou arrastando o sedimento já depositado nas praias... Em 1998, a erosão destruiu o povoado de Cabeço, na foz do rio São Francisco, na divisa entre Alagoas e Sergipe".