Notícia

G1

Máquina da USP entra em lista de 500 computadores mais potentes

Publicado em 22 novembro 2006

Por Agência FAPESP

Supercomputador Blue Gene (foto), o mais rápido do mundo, realiza 280,6 trilhões de cálculos por segundo Uma máquina adquirida pela Universidade de São Paulo (USP) entrou para o ranking Top 500, com os computadores mais potentes do mundo, tornando-se a primeira máquina do universo acadêmico brasileiro a fazer parte desta lista. Com a novidade, o Brasil aparece na 363ª posição, além daquelas já ocupadas por máquinas da Petrobrás (273º, 275º e 418º lugar).
Pesquisadores da USP poderão utilizar a máquina para realizar cálculos bastante complexos das áreas de economia, engenharia, engenharia, meteorologia, astrofísica, física de materiais e mecânica de fluidos, por exemplo. O supercomputador produzido pela IBM chegará à capital paulista no próximo fim de semana e entrará em funcionamento no dia 15 de dezembro.
A estrutura da máquina consiste em um aglomerado de 448 processadores que operam em conjunto (um cluster), possibilitando 2,9 trilhões de operações por segundo. O computador mais veloz do ranking Top 500, o Blue Gene (foto), opera em 280,6 trilhões de cálculos por segundo.
"O novo equipamento representará a diferença entre fazer ou não fazer determinados projetos", disse Luiz Nunes de Oliveira, professor do Departamento de Física e Informática do Instituto de Física de São Carlos, da Universidade de São Paulo (USP). "Um cálculo meteorológico que leva uma semana não faz sentido, pois quando fica pronto a previsão já é inútil. Além disso, temos projetos cujos cálculos levam três semanas. Agora, eles serão feitos em questão de horas. É um aumento de produtividade fantástico", disse o professor.
O cluster, adquirido com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), custou US$ 650 milhões. Estima-se, no entanto, que seu valor de mercado fique em cerca de US$ 1 milhão. "Pagamos menos, porque o fornecedor considera que ter um cluster como este na lista do Top 500 é uma boa vitrine para seu produto", disse Oliveira. Oito empresas participaram da concorrência para o fornecimento do supercomputador. A utilização da novidade, que ficarão no Centro de Computação Eletrônica da USP (na Cidade Universitária) será gerenciada por quatro representantes do grupo de pesquisadores. "Quem tiver necessidade submeterá um projeto a ser avaliado pela comissão. Vamos considerar o potencial da pesquisa e suas necessidades de tempo para ceder o equipamento", explicou Nunes à Agência Fapesp.