Notícia

Folha da Região (Araçatuba, SP) online

Mapa traça o verde paulista

Publicado em 28 setembro 2003

A Fundação de Apoio e Pesquisa de São Paulo (Fapesp) divulgou por meio de sua publicação, a revista Pesquisa, a conclusão do Inventário Florestal de São Paulo, que traz um retrato da área de vegetação natural e reflorestada dos 645 municípios paulistas. O Diário da Região antecipou em sua edição no dia 4 de julho deste ano a pesquisa realizada pelo Instituto Florestal, da Secretaria do Meio Ambiente, relatando a extinção excessiva do verde na região de Rio Preto. O trabalho daquele Instituto resultou no mapeamento completo da situação vegetal do Estado de São Paulo. Parte do projeto do deputado estadual Vaz de Lima (PSDB), 50 anos, foi baseada nas informações publicadas por aquela reportagem. Para que as imagens fossem captadas com maior precisão, os pesquisadores contaram com o uso de imagens satélites Landsat 5 e 7 e de fotos feitas a partir de aviões que voam próximo ao solo. Essa tecnologia permitiu um detalhamento pelo menos três vezes maior que o do inventário anterior, realizado no início dos anos 90. Dessa forma, foi possível identificar trechos de vegetação, antes imperceptíveis, de até quatro hectares. De acordo com a pesquisa, o interior do Estado foi a área mais sofreu com a devastação natural nos últimos 10 anos. A região de Rio Preto perdeu, nos últimos dez anos, 12,6% de sua cobertura vegetal natural, o que equivale a 16,4 mil hectares de vegetação nativa, ou 20 mil campos de futebol. Segundo a pesquisa, a região mais devastada foi a de Araçatuba, com 16,2% de perda verde. Porém, enquanto a região de Rio Preto perdeu 12,6% de sua vegetação natural, o Estado de São Paulo teve um crescimento na sua cobertura nativa de 3,8%. O estudo revelou que a superfície estadual teve acréscimo na sua área vegetal natural de 126.557 hectares, o equivalente a cerca de 155 mil campos de futebol. Nos últimos 10 anos, a vegetação nativa do Estado passou de 3.330.744 hectares para 3.457.301 hectares.