Notícia

Gazeta Mercantil

Mapa para defender o ambiente - Programa de Biodiversidade da Fapesp, eleito o melhor do ano, recebe o prêmio Ford

Publicado em 24 novembro 1999

Por Eduardo Geraque - de São Paulo
O Programa multidisciplinar Biota- Fapesp, criado em fevereiro por iniciativa dos pesquisadores paulistas de várias unidades de pesquisa, recebe hoje o Prémio Henry Ford de Conservação Ambiental na categoria Iniciativa do Ano na área ambiental. A cerimônia de entrega será no Recife. O prêmio, que é entregue no Brasil desde 1996, é uma iniciativa da Ford em parceria com a Conservation Internacional, uma organização não-governamental que está presente em 26 países. Este ano, os organizadores do evento receberam 95 inscrições de todo País para o processo seletivo. No ano passado, este número foi de 75. A proposta do Biota-Fapesp é fazer um inventário e caracterizar toda a biodiversidade do Estado de São Paulo. Com as informações básicas prontas - elas serão disponibilizadas em uma rede eletrônica de informações -, os pesquisadores conseguirão definir o potencial econômico de toda a biota de São Paulo. O passo seguinte será o desenvolvimento de mecanismos mais eficientes não apenas para a conservação da biodiversidade, mas também para um uso sustentável dos recursos naturais. Um dos motivos políticos que promoveram a criação do Programa Biota-Fapesp foi o compromisso assumido pelo governo federal quando ratificou a Convenção da Biodiversidade. A assinatura oficial ocorreu durante a ECO-92, a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (CNU-MAD), realizada no Rio de Janeiro, em junho de 1992. Na prática, o projeto Biota-Fapesp nasceu entre os pesquisadores do Estado. Eles que se reuniram, formularam as propostas e apenas apresentaram a sugestão à instituição de fomento à pesquisa do Estado de São Paulo. No total, o programa financiado pela Fapesp reúne 200 doutores. Os dados já formatados sobre a fauna e flora paulista estão disponíveis na rede mundial de computadores. Além da Fapesp, a Ford e a Conservation Internacional também vão premiar o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) pelas ações do órgão federal em áreas como, por exemplo, a região amazônica. Segundo os responsáveis pelo prêmio, o Ibama viabilizou a criação do mais expressivo número de unidades de conservação no território nacional neste ano.