Notícia

Jornal Primeira Página

Manual orienta construção e manutenção de pontes de madeira

Publicado em 06 setembro 2009

Um projeto desenvolvido por pesquisadores da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) da USP resultou em um manual de construção de pontes de madeira tecnológica. O manual introduziu, não apenas no Brasil, mas também na América do Sul, sistemas construtivos e estruturais inovadores para este tipo de construção.

O trabalho foi coordenado pelo professor Carlito Calil Junior, no Laboratório de Madeiras e de Estruturas de Madeira (LaMEM) da EESC, e possibilitou a construção de 16 pontes de madeira tecnológica, sendo 5 em Piracicaba, 4 em Cubatão, 1 em Paracatu (Minas Gerais) e 1 em Aiuruoca (Minas Gerais). Em São Carlos, foram construídas 5 pontes: 4 delas dentro do campus da USP na cidade (além de uma passarela estaiada).

Essas pontes foram construídas com madeiras de reflorestamento como pinus e eucalipto. Por meio de um convênio com as Prefeituras dessas cidades, foram oferecidos cursos de extensão universitária para engenheiros do Departamento de Estradas de Rodagem e de Prefeituras. O curso, com 12 horas de duração e ministrado em 2 dias, abordou resistência e elasticidade das peças, normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), os tipos de projeto que podem ser usados, preservação, proteção, inspeção e manutenção de peças de madeira, fundações de pontes de madeira, etc. As aulas foram ministradas no LaMEM.

A iniciativa integrou o Programa Emergencial de Pontes de Madeira do Estado de São Paulo, Projeto Temático financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), realizado entre 2002 e 2007. O objetivo foi desenvolver novas tecnologias — e aprimorar as já existentes — para o projeto e a construção de pontes de madeira, bem como adaptar tecnologias usadas em países do exterior para as condições nacionais, levando à construções de pontes seguras, seguindo técnicas simples e modernas, com durabilidade compatível com a de outros materiais, a um custo altamente competitivo, explica o coordenador do projeto, professor Calil Junior.

O projeto deu origem ao Manual, que tem 237 páginas e aborda as propriedades de resistência e rigidez da madeira; os sistemas construtivos e estruturais; fundações para pontes de madeira; classificação e durabilidade do material; diretrizes e exemplos para projetos. Trata-se de um trabalho que fornece aos engenheiros, arquitetos e projetistas as recomendações para o projeto, construção e detalhamento de pontes de madeira utilizando sistemas estruturais e construtivos simples e de baixo custo, para pequenos e médios vãos, explica o pesquisador.

Pará e Amazonas recebem pontes frutos do projeto

Com o auxilio financeiro da FAPESP foram produzidas 600 cópias do Manual, distribuídos inicialmente para prefeituras do estado e, posteriormente, para prefeituras de outros estados e profissionais que solicitaram o material diretamente ao LaMEM. Por meio do manual, já foram construídas outras 6 pontes de madeira tecnológica no estado do Pará e outras 6 no Amazonas, conta o coordenador do projeto. Nesses locais, eles usam madeiras da região, como maçaranduba e jatobá, afirma.

De acordo com Calil, a maioria das pontes de madeira no Brasil não são projetadas ou construídas por técnicos especializados em madeira. Isso resulta em estruturas caras, inseguras e de baixa durabilidade, destaca. O manual apresenta soluções tecnológicas que possibilitam mudar essa realidade.

Segundo o professor, uma das tecnologias apresentada no projeto foi fruto de seu pós-doutorado, realizado no Forest Products Laboratory (FPL), em Madison, Wisconsin, nos Estados Unidos.