Notícia

Correio da Paraíba

Mais um caminho na luta contra o câncer

Publicado em 22 abril 2007

São Paulo (Fapesp) - O número de novos casos de câncer de mama dos Estados Unidos caiu significativamente a partir de 2003, o que pode reposição hormonal em todo o país. A conclusão está em um artigo publicado na revista científica New England Journal of Medicine. O estudo coordenado por Donald Berry, do M.D. Anderson Câncer Center da Universidade do Texas (EUA), mostrou que a queda começou na meta de  2002 e que, de 2001 a 2004, a incidência desse tipo de tumor caiu 8,6%. O trabalho estima que entre 2003 e 2004 deixaram de ocorrer cerca de 44 mil novos casos. Paralelamente, mais ou menos no mesmo período, Os médicos norte-americanos foram diminuindo as prescrições de tratamentos a base se reposição hormonal para mulheres na menopausa. Em 2001, foram expedidas 61 milhões de receitas; em 2003, 24 milhões; e, em 2005, 18 milhões.

O artigo lembra que, entre 2002 e 2003, a indicação de terapia hormonal começou a cair rapidamente nos Estados Unidos após a divulgação de um grande estudo dos National Institutes of Health sobre a saúde de mulheres na menopausa. O estudo, chamado Iniciativa pela Saúde das Mulheres (ou WHI — Women's Health Initiative), mostrava um aumento no risco de patologias como câncer de mama, doenças cardíacas e derrame, nas mulheres que usavam terapia de estrógeno e progestina (um hormônio sintético semelhante ã progesterona) para minorar desconfortos e correntes da menopausa. Devido a possível conexão entre o uso de terapia hormonal e o risco aumentado de câncer de mama, os grupos de mulheres tratadas com hormônios ou placebo no WHI foram orientados a interromper o uso de sua medicação. Essas mulheres ainda estão sendo acompanhadas, e os pesquisadores responsáveis pelo estudo devem um relatório complementar 'sobre o grupo que recebeu terapia hormonal.

Esse relatório devera trazer evidências mais sólidas sobre a influência do tratamento na incidência do câncer de mama.